Rodovias de São Paulo só poderão ter obras à noite

Por Carolina Santos
R$ 11 mil é o valor perdido por dia em tempo e combustível nos congestionamentos em SP, segundo Instituto de Estudos Avançados da USP  | José Luís da Conceição/ Divulgação Governo do Estado de São Paulo R$ 11 mil é o valor perdido por dia em tempo e combustível nos congestionamentos em SP, segundo Instituto de Estudos Avançados da USP | José Luís da Conceição/ Divulgação Governo do Estado de São Paulo

A Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) aprovou por unanimidade  ontem um projeto de lei do deputado estadual Gerson Bittencourt (PT) que organiza a execução de obras nas rodovias que cortam as regiões metropolitanas e aglomerados urbanos do Estado.

O projeto estabelece que as obras de conservação, recapeamento, manutenção, reparos e sinalização sejam executadas entre 20h e 6h, de segunda a sexta-feira, e aos sábados, das 14h até as 14h de domingo. O projeto segue para análise do governador Geraldo Alckmin.

Segundo o deputado, que é membro da Comissão de Transportes da Alesp, o aumento dos custos (pagamento de adicional noturno, colocação de geradores etc.) é o principal motivo para que as concessionárias optem pelas obras diurnas.

“As obras, em sua maioria, são realizadas em horário diurno, sem que a população seja comunicada com antecedência e sem um planejamento conjunto com os gestores municipais”.

O Metro entrou em contato com a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias para questionar sobre o projeto, mas o  atendimento à imprensa não estava disponível.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo