Câmara pagará R$ 1,2 mi para blindar a fachada

Por Carolina Santos

Após a onda de protestos, a Câmara Municipal decidiu blindar sua fachada de vidro espelhado. A medida foi acertada na noite de terça-feira, após reunião da Mesa Diretora. A iniciativa prevê a substituição dos vidros, cuja extensão é de 244,8 metros quadrados,  por um modelo à prova de bala. O custo da troca será de R$ 1,2 milhão.

O Legislativo também vai instalar películas antivandalismo, que dificultam a quebra de vidros, nos demais andares do Palácio Anchieta. Ainda não há uma previsão de quanto custará essa segunda etapa.

De acordo com a presidência da Mesa, o pacote antiviolência foi definido após a entrada da Casa ter sido alvo de quatro disparos na madrugada de 19 de julho.

Também colaborou com a decisão a tentativa de invasão do Legislativo por um grupo de manifestantes, no dia 14 de agosto.

Um dia depois, grades de proteção foram colocadas em frente à entrada e permanecem lá.

A lista de medidas para o reforço da segurança segue uma série de recomendações da PM e da GCM .

Homenagem à Rota

Após duas tentativas frustradas, os vereadores aprovaram na terça-feira, com 37 votos a favor e 15 contra, projeto que concede à Rota a Salva de Prata. A proposta de homenagem foi apresentada pelo vereador Telhada (PSDB), que comandou a Rota até o final do ano passado. A sessão foi marcada por discussões entre vereadores e tumulto.

A tribuna foi ocupada por ativistas  que, a cada discurso em apoio à honraria, gritavam que a rua ia cobrar a decisão tomada pelos parlamentares.

Manifestantes foram retirados pela PM após chamarem o vereador Telhada de fascista enquanto ele discursava. Em resposta, ele afirmou que votar contra a Rota é ser a favor do crime.

Quando o resultado foi anunciado, a tribuna ficou dividida entre aplausos de PMs que acompanhavam a sessão e manifestantes, que gritavam: “polícia, fascista, não passarão”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo