Policiais de outras cidades poderão fazer bico em SP

Por Carolina Santos

A prefeitura aceitou ontem uma oferta do secretário de Segurança do Estado, Fernando Grella, para tentar salvar a Operação Delegada à noite. A ideia é utilizar policiais militares de 38 cidades da Grande São Paulo no chamado bico oficial.  Hoje, somente policiais da capital podem atuar no combate a camelôs e na fiscalização de bares.

Grella levou a proposta ao prefeito Fernando Haddad (PT) dias depois da secretária municipal de Planejamento, Leda Paulani, afirmar que a operação noturna não seria mantida pela administração petista. Segundo ela, não havia interesse por parte dos policiais   e o modelo era reprovado pela população.

Balanço da prefeitura revela que apenas 176 das 1,3 mil vagas oferecidas para o período noturno foram preenchidas até o mês de julho.  Com relação às ações diurnas, das 2.074 vagas ofertadas, 405 seguem em aberto.

Para o secretário das subprefeituras, Chico Macena, a proposta pode ajudar a preencher as vagas em regiões com elevado índice de criminalidade.

Criado em 2009, pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD), o bico oficial da PM tinha como foco o combate a camelôs. Em março deste ano, Haddad e o governador Geraldo Alckmin (PSDB) assinaram um convênio ampliando a operação para fiscalizar casas noturnas e combater os bailes funk na periferia. Mas a falta de interesse dos PMs em trabalhar à noite inviabilizou a ideia.

Para o vereador e coronel da PM Alvaro Camilo (PSD), a prefeitura precisa decidir se quer ou não continuar com a operação. Segundo ele, a atual administração tem desidratado o bico oficial. “O contingente já foi de 3,9 mil. Hoje, são menos de dois mil. A falta de planejamento é um dos fatores de desinteresse”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo