Fim do ‘bico oficial’ à noite gera atrito entre Estado e prefeitura de SP

Por Carolina Santos

A prefeitura desistiu do convênio com o Estado para estender para o período noturno a Operação Delgada, parceria que prevê o uso de policiais militares em ações de fiscalização. O chamado “bico oficial” foi retirado da versão final do Plano de Metas 2013-2016.

Para justificar a medida, o prefeito Fernando Haddad (PT) disse que houve baixa adesão ao programa por parte dos policiais. “Vamos ter de repensar  como garantir mais policiamento à noite, uma vez que não houve interesse durante quase cinco meses por parte da Polícia Militar”.

Do outro lado, entidades ligadas à PM  reclamam do valor da hora extra paga pela prefeitura (de R$ 19,72 a R$ 26,32) e da dificuldade para deixar os bairros da periferia à noite.

 

Rota de colisão

Segundo a secretária municipal de Planejamento, Leda Paulani, a população não estava satisfeita com o programa. “A população reclamou muito da violência dos policiais. A Operação Delegada não era uma meta de nossa de campanha eleitoral”.

A Secretaria da Segurança Pública respondeu afirmando que a prefeitura não ofereceu as condições necessárias para o sucesso do programa à noite.

Além disso, o número de policiais que trabalham durante o dia também foi reduzido. Com o foco na fiscalização do comércio irregular   desde a gestão Gilberto Kassab (PSD),  o número de policiais conveniados caiu de 3.439 para 1.853.

 

Arco do futuro 

O projeto Arco do futuro, conjunto de obras viárias prevista no plano de governo de Haddad, também sofrerá alterações.

As obras de apoio viário ao longo da marginal Tietê foram excluídas do Plano de Metas. A prefeitura alega não ter recursos para as intervenções para a união dos eixos norte- sul.

No total, o plano de Haddad terá 123 metas, que terão que ser cumpridas até o final do mandato.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo