Grupo protesta nesta sexta-feira a favor do menino Marcelo

Por Carolina Santos

Cerca de 400 pessoas confirmaram presença no Facebook em um protesto marcado para o final da tarde de hoje na frente do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), na rua Brigadeiro Tobias, no centro. Os membros da comunidade intitulada “Não foi o Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini” pedem mais rigor nas investigações e dizem acreditar na inocência do menino.

Em apenas um dia, a página foi curtida por mais de 23 mil usuários.

A responsável pela criação, que preferiu não se identificar, afirmou em uma publicação ser uma “mãe indignada” e que não tem ligação com a família.

A cabo Andreia Pesseghini, de 36 anos, e o marido, o sargento da Rota Luis Marcelo Pesseghini, de 40 anos, foram encontrados mortos no dia 5, na Brasilândia. A tia-avó e a avó do estudante também foram mortas.  Segundo a polícia, Marcelo é o único suspeito de ter cometido os assassinatos. Anteontem, a Corregedoria informou que vai investigar policiais que teriam convidado a cabo para participar de roubos a caixas eletrônicos.

 

Investigações

A Polícia Civil está investigando se a motivação de Marcelo seria fazer parte de um grupo chamado “Os mercenários”, com inspiração criminosa, informou a rádio Bandeirantes. Segundo depoimentos de colegas da escola, matar alguém da família garantia “mais pontos ou mais energia”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo