Haddad: Com gasolina mais cara, ônibus custaria R$ 1,80

 

Haddad apresentou nova proposta para o transporte público | Antonio-Cruz-ABr Haddad apresentou nova proposta para o transporte público | Antonio-Cruz-ABr

A tarifa de ônibus em São Paulo poderia passar dos atuais R$ 3 para R$ 1,80, caso o preço da gasolina na bomba tivesse uma alta de R$ 0,50. A conta foi apresentada ontem pelo prefeito Fernando Haddad (PT), durante evento realizado pela Rede Nossa São Paulo.

O aumento no combustível seria possível com um reajuste na alíquota da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) pelo governo federal.

Segundo o prefeito, a adoção de um subsídio cruzado pode baratear em até R$ 1,20 o custo do transporte público em São Paulo. Haddad também defendeu a municipalização da Cide.

“Isso significa que é possível subsidiar a tarifa, desde que haja uma fonte de financiamento. A melhor escolha é aquela que inibe o uso do carro”, disse.

De acordo com Haddad,  o caminho mais viável nas grandes cidades é utilizar o transporte individual para financiar o coletivo.

Além disso, ele lembrou que a troca do carro pelo ônibus ajuda a reduzir a poluição.

A projeção de queda no custo da passagem foi realizada pelo pesquisador da FGV (Fundação Getulio Vargas) Samuel Abreu Pessoa.

O estudo, apresentando parcialmente, aponta que 78% dos moradores da capital seriam beneficiados pela redução da tarifa do transporte público.

Segundo Pessoa, a medida ainda resultaria em uma  deflação de 0,026% no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial.

A pesquisa completa sobre o impacto do aumento na gasolina será divulgada em duas semanas. 

Loading...
Revisa el siguiente artículo