Tio não acredita que sobrinho é culpado da morte dos pais

O tio-avô de Marcelo Pesseghini, de 13 anos, suspeito de matar a família, prestou depoimento ontem na sede do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) por mais de três horas. Sebastião de Oliveira Costa foi chamado porque disse em várias entrevistas não acreditar que o sobrinho tenha matado os pais, a avó e a tia-avó, e se suicidado em seguida, na madrugada do dia 5 de agosto.
Questionado se a família acredita que o menino não seja o autor dos crimes, Costa respondeu que não irá mais se manifestar sobre o assunto. Ele também reclamou do assédio em torno da família.
O tio entregou à polícia uma chave encontrada no domingo por uma equipe de reportagem, perto do portão. Ele não soube dizer se a chave é da casa da família.
Desde o dia 5, a Polícia Civil já ouviu 21 pessoas. Outros parentes serão chamados para depor ao longo desta semana.
Na manhã de ontem, as aulas na escola onde estudava Marcelo, suspensas desde terça-feira passada, foram retomadas.

Loading...
Revisa el siguiente artículo