GCM e mulher foram executados, segundo secretário de Mairinque

O secretário de Segurança Pública de Mairinque, Valdeir Dias Pereira, afirmou nesta segunda-feira que a morte de um GCM (guarda civil metropolitano) e da mulher dele fazem parte de uma execução. O caso aconteceu na última sexta-feira na cidade do interior de São Paulo. O filho do casal também foi atingido por um tiro na cabeça e segue internado em estado grave.

Segundo Pereira, “o que leva a crer que trata-se de uma execução é o fato de não terem roubado nada. Havia dinheiro na sala, TV, computador, entre outros objetos”.

“Ele nunca disse a ninguém que sofria ameaças. Mas ele era atuante, responsável, sério, honesto e sempre trabalhou com vontade. Ele já tinha 20 anos de profissão”.

O caso

A família de um subcomandante da GCM (Guarda Civil Metropolitana) foi alvo de tiros em Mairinque, no interior do Estado de São Paulo. O crime ocorreu por volta das 20h dessa sexta-feira, no bairro Jardim Vitória.

De acordo com a polícia, bandidos armados invadiram a casa do subcomandante da GCM, que estava no local com sua mulher e o filho do casal, de dez anos. O corpo do oficial foi encontrado na mesa de jantar da casa com um tiro na cabeça; a mulher dele estava com as mãos amarradas para trás, também com um tiro na parte superior.

Já o filho do casal foi encontrado caído nas escadas, também baleado. O garoto foi socorrido e levado em estado grave ao Hospital de Mairinque – logo depois, ele foi transferido para o Hospital Regional de Sorocaba.

Loading...
Revisa el siguiente artículo