Reunião da CPI dos Ônibus é adiada para quinta-feira no Rio de Janeiro

Por BAND
Carro de Cesar Maia é cercado por manifestantes | Bruna Prado/Metro Rio Carro de Cesar Maia é cercado por manifestantes | Bruna Prado/Metro Rio

A primeira reunião da CPI dos Ônibus, na qual deverá ser definido o calendário de audiências, foi adiada. A pedido do vereador Eliomar Coelho (PSOL), o encontro, que seria nesta terça-feira (13), será só na quinta (15), às 10h.

A decisão foi tomada durante reunião entre o presidente da Câmara Municipal, Jorge Felippe (PMDB), e 28 vereadores, ontem, que discutiu a ocupação da Casa. Cerca de 12 manifestantes continuam dentro da Câmara.

Eles ocuparam o local, na última sexta-feira (9), em protesto contra a nomeação dos vereadores do PMDB Chiquinho Brazão e Professor Uóston para presidente e relator da CPI, respectivamente.

Os manifestantes querem que Eliomar presida a comissão, já que ele a propôs. O grupo promete manter a ocupação até que Brazão e Uóston, assim como Jorginho da SOS (PMDB) e Renato Moura (PSC) renunciem às nomeações como integrantes da CPI, porque nenhum deles assinou o requerimento de instalação da comissão.

Mas a assessoria de Uóston informou, em nota, que ninguém irá renunciar das posições e que eles não compareceram à reunião de ontem para “não constranger os colegas”.

Ontem, a Câmara ficou com as portas fechadas. Só os vereadores puderam acessar o prédio. Segundo a Casa, por decisão da PM, funcionários e assessores parlamentares fora impedidos de entrar.

Ao deixar o prédio, o vereador Cesar Maia (DEM) foi hostilizado. Alguns manifestantes cuspiram em seu carro e acertaram um ovo no chefe do gabinete do ex-prefeito.

Jorge Felippe se comprometeu a liberar o acesso da população nas sessões da CPI e colocar telões do lado de fora para o público acompanhar os trabalhos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo