Acidente da TAM: Duas testemunhas de acusação são ouvidas

Por Carolina Santos
Acidente da TAM deixou 199 pessoas mortas |Valter Campanato/ ABr Acidente da TAM deixou 199 pessoas mortas |Valter Campanato/ ABr

Teve início na tarde desta quinta-feira o depoimento de mais uma testemunha de acusação no julgamento do acidente com o avião da TAM no Aeroporto de Congonhas, que provocou a morte de 199 pessoas em julho de 2007. O juiz Márcio Assad Guardia, da 8ª Vara Federal Criminal de São Paulo, está ouvindo, por videoconferência, o piloto João Batista Moreno de Nunes Ribeiro. Na sequência, prestará depoimento presencial o piloto Elias Azim Filho, que também é testemunha de acusação.

Três réus estão sendo julgados por atentado contra a segurança aérea: a ex-diretora da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) Denise Abreu, o vice-presidente de operações da TAM, Alberto Farjeman, e o diretor de segurança de voo da companhia, Marco Aurélio dos Santos de Miranda e Castro.

Alguns parentes das vítimas do acidente fazem hoje nova vigília em frente ao Fórum Criminal Federal em São Paulo. Renato Gomes, pai de Julia e Maria Izabel, que morreram no acidente, disse esperar pela condenação dos réus. “Hoje, mais do que nunca, acredito nesta condenação. Se você me fizesse essa pergunta há um ano, eu não teria esta certeza, mas hoje eu acredito que vai haver a condenação e que há a possibilidade inclusive de uma prisão”. Ontem, duas testemunhas de acusação foram ouvidas – a desembargadora federal Cecilia Marcondes e o piloto João Eduardo Batalha Brosco.

Marcio Campos foi o primeiro a chegar em Congonhas, em 2007; veja o vídeo:

Parentes

 

No ano passado – quando a tragédia completou 5 anos -, a repórter Bárbara Forte, do Portal da Band, conversou com familiares das vítimas. Um deles foi Dario Scott, que percebeu, pela televisão, que sua filha, de apenas 14 anos, poderia estar entre as vítimas do voo JJ3054 da TAM, que explodiu contra o prédio da própria empresa, em frente ao aeroporto de Congonhas, em julho de 2007. O acidente matou a adolescente e mais 198 pessoas que partiam em um voo de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, para São Paulo.

“Eu vi, ao vivo, minha filha sendo queimada pelas chamas”, afirma Scott. Thaís Volpi Scott estava, junto com uma amiga da mesma idade, voltando de uma viagem de férias.

 

 

 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo