Denarc é reestruturado pelo governo após prisões de policiais

Por fabiosaraiva

O governo formalizou a reestruturação do Denarc (Departamento Estadual de Repressão e Repressão ao Narcotráfico), restringindo a atuação dos policiais à capital. A medida foi publicada ontem no “Diário Oficial”. As mudanças acontecem três semanas depois de uma operação do MP (Ministério Público) que prendeu sete policiais civis, acusados de envolvimento com o tráfico de drogas. Outros seis foram detidos dias depois.

A partir de agora, agentes do Denarc poderão atuar em outras regiões do Estado apenas em casos excepcionais, e autorizados pela cúpula da Segurança Pública.

Também está prevista a criação de um departamento de contra-inteligência. Ele será responsável pelo aprofundamento das investigações e de impedir o vazamento de informações.

Ontem, o Tribunal de Justiça revogou a prisão temporária do delegado Fábio do Amaral Alcântara. Oito agentes continuam presos.

De acordo com as investigações, os policiais detidos teriam recebido R$ 500 mil por ano como propina para evitar a prisão dos criminosos.

Entre as provas levantadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do MP de Campinas, estão conversas telefônicas entre os policiais e criminosos ligados à Wanderson de Lima, o Andinho.

Condenado a 400 anos, ele é acusado de comandar o tráfico na região de Campinas de dentro da penitenciária de segurança máxima de Presidente Venceslau.

Loading...
Revisa el siguiente artículo