Família de Amarildo quer "declaração de morte"

Por Carolina Santos

O advogado da família do pedreiro Amarildo de Souza, desaparecido desde o dia 14 de julho, no Rio de Janeiro, disse ontem que irá entrar com uma ação de “justificação de morte presumida”. De acordo com o advogado, a família não tem dúvidas de que o pedreiro está morto.

Tancredo também informou que a família entrará com uma ação indenizatória contra o Estado. Ele espera ter acesso à declaração de morte em três dias. “Vou pedir de antemão o pagamento de uma pensão de um salário mínimo”, afirmou.

Ontem, o delegado Rivaldo Barbosa, da Divisão de Homicídios, ouviu todos os envolvidos no caso. Entre eles, estão nove policiais da UPP, que chegaram por volta das 15h. O pedreiro sumiu após ser abordado por policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Rocinha. 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo