Vinte pessoas são presas durante protesto contra Alckmin

Por Carolina Santos

Um protesto contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB) terminou em confronto entre manifestantes e a PM na noite de ontem. Agências bancárias e uma loja de carros importados  foram depredadas e pelo menos 20 pessoas presas. Todos foram encaminhados ao 14º DP.

A manifestação começou no largo da Batata, em Pinheiros. Cerca de 150 pessoas se concentraram no local.  O protesto foi organizado pelo mesmo grupo que, na última sexta-feira, realizou outra manifestação na avenida Paulista, quando também ocorreram atos de vandalismo. Alertada, a PM reforçou a segurança no local com 220 policiais.

O grupo, já com cerca de 300 pessoas, seguiu pela avenida Rebouças, que foi totalmente interditada, nos dois sentidos, por volta das 19h40, provocando congestionamento. Assustados, motoristas tentavam escapar da confusão. A via só foi liberada por volta das 20h pela PM, que usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

O grupo então bloqueou  parcialmente a rua Cristiano Viana, colocando fogo em sacos de lixo.

Os manifestantes só se dispersaram quando policiais se posicionaram na esquina da Doutor Arnaldo com a rua Teodoro Sampaio, às 20h30. Por volta das 22h de ontem, um pequeno grupo ainda se concentrava no vão livre do Masp.

Loading...
Revisa el siguiente artículo