Fleury diz que invasão do Carandiru foi necessária

Por Carolina Santos
Segunda parte do Julgamento começou dia 29 | Marcelo Camargo/ ABr Segunda parte do Julgamento começou dia 29 | Marcelo Camargo/ ABr

O ex-governador de São Paulo Luiz Antônio Fleury Filho  voltou a dizer ontem que a invasão do Carandiru, em outubro de 1992, foi “legítima e necessária”.

A afirmação foi feita no segundo dia de julgamento do caso. Essa segunda fase do júri decidirá o futuro de 26 policiais acusados da morte de 73 detentos. No total, foram 111 detentos assassinados. Em abril, no primeiro júri, outros 23 PMs foram julgados. Cada um foi condenado a 156 anos, mas todos recorrem em liberdade.

Fleury foi uma das testemunhas de defesa ouvidas ontem. Ele afirmou que a responsabilidade política do episódio foi dele, mas que no dia não se comunicou com o secretário da Segurança, que estava viajando.

“Tínhamos a informação de que nove presos já haviam morrido. Não há dúvida alguma de que a entrada se fazia necessária”. O julgamento segue hoje, às 10h, com interrogatório dos policiais. Outros 53 policiais ainda devem ser julgados este ano.

Loading...
Revisa el siguiente artículo