Câncer infantil: 80% dos casos podem ser tratados com sucesso

'Setembro Dourado', mês de conscientização sobre o câncer infantil, chama atenção sobre os sintomas da doença que podem ajudar no diagnóstico precoce

Por Thainá Zanfolin Canguru News

Cerca de 80% dos casos de câncer infantil têm sucesso no tratamento quando os sintomas e sinais são notados no início da doença e a criança recebe tratamento especializado. É o que afirma o Instituto Nacional de Câncer (INCA), que estima que em 2020 cerca de 8 mil novos casos de câncer infantojuvenil serão diagnosticados no Brasil.

Em crianças e adolescentes, a doença afeta, geralmente, células do sistema sanguíneo (leucemia), linfático (linfoma) e dos tecidos de sustentação. Esses tipos são de natureza embrionária, em sua maioria. Segundo o Inca, esse detalhe faz com que a resposta aos tratamentos atuais seja eficiente, aumentando as chances de cura, principalmente quando descoberto no início.

Para chamar a atenção de pais e responsáveis sobre a importância de estar atento aos sintomas da doença, todos os anos é realizado beste mês a campanha Setembro Dourado. A partir de medidas educativas por meio das redes sociais, busca-se informar e explicar as ocorrências do câncer infantojuvenil no país.

Nestes tempos de pandemia pelo coronavírus, o GRAACC, entidade responsável pelo hospital referência em oncologia pediátrica no Brasil, destaca que muitas famílias têm evitado levar as crianças em consultas médicas. Entretanto, a diretora clínica do Hospital do GRAACC, a médica Monica Cypriano, afirma que atrasos nas sessões de tratamento podem resultar em um piora do quadro de saúde da criança.

Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) orienta “pais e responsáveis realizem consultas regulares com o pediatra para seus filhos e filhas, visando o diagnóstico precoce da doença, e permitindo assim, melhor chance de cura, de sobrevida e de qualidade de vida para o paciente e sua família”.

“Infelizmente, com base nos dados dos registros de câncer atualmente consolidados, muitos pacientes em nosso país ainda são encaminhados aos centros de tratamento com a doença avançada”, afirma a nota especial do Departamento Científico de Oncologia da SBP, em informativo sobre o Setembro Dourado.

LEIA TAMBÉM – Vacina contra o HPV pode evitar um câncer e deve ser tomada na adolescência

Sintomas que podem indicar câncer infantojuvenil

De acordo com o GRAACC, é normal que alguns sintomas sejam confundidos com outros adoecimentos comuns para a idade.

Os principais sintomas e sinais são:

  • Dores nos ossos, principalmente nas pernas, com ou sem inchaço;
  • Palidez inexplicada;
  • Fraqueza constante.
  • Aumento progressivo dos gânglios linfáticos
  • Manchas roxas e caroços pelo corpo, não relacionados a traumas;
  • Dores de cabeça, acompanhadas de vômitos;
  • Perda de peso;
  • Aumento ou inchaço na barriga;
  • Febre ou suores constantes e prolongados;
  • Distúrbios visuais e reflexos nos olhos;
  • Sinais precoces de puberdade: acne, voz grave, ganho excessivo de peso, pelos pubianos ou aumento do volume mamário nas meninas com menos de 8 anos e nos meninos com menos de 9 anos de idade;
  • Dor nas costas, que piora quando deitado de barriga para cima.

A SBP salienta a importância da realização de consultas regulares aos pediatras para que seja feito um diagnóstico precoce do caso. Além disso, aponta que é fundamental procurar centros especializados em oncologia pediátrica, com equipe multiprofissional e com tratamento específico para crianças.

O Instituto também explica que ainda não existem evidências científicas que relacionem fatores de risco com o câncer infantojuvenil (como é o caso nos adultos) e, por isso, não é possível indicar uma prevenção. “A ênfase atual deve ser dada ao diagnóstico precoce e à orientação terapêutica de qualidade”, informa.

Webinar sobre sinais da doença e chances de cura

No dia 23/09, às 19h, o Hospital do GRAACC fará um webinar com a Dra. Monica Cypriano com o tema “E se for câncer infantil? Os sinais da doença e as chances de cura”. Para fazer a inscrição e participar, basta acessar clicar aqui.

LEIA TAMBÉM – Morte de crianças por câncer caiu 13% em 10 anos

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis!

Loading...
Revisa el siguiente artículo