ONU pede reabertura das escolas para evitar 'catástrofe geracional'

Segundo o secretário-geral da entidade, Antonio Guterres, mais de 1 bilhão de estudantes foram afetados pelas medidas de isolamento social

Por Verônica Fraidenraich – Canguru News

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres pediu a todos países, nesta terça-feira, que seja dada prioridade à reabertura das escolas nos lugares em que a transmissão da Covid-19 estiver sob controle. Segundo o líder, o encerramento prolongado pode provocar uma tragédia sem precedentes na história.

“É uma catástrofe geracional que pode desperdiçar um potencial humano incalculável, minar décadas de progresso e exacerbar desigualdades arraigadas”, disse Guterres em entrevista coletiva para comentar um relatório sobre educação.

Leia também: Volta às aulas continua sem data definida em cidades como São Paulo

Com escolas fechadas em 160 países e mais de 1 bilhão de alunos afetados em todo o mundo, o secretário-geral da ONU disse que a pandemia provocou a maior interrupção da educação na história. Segundo ele, "vivemos um momento decisivo para as crianças e jovens de todo o mundo. As decisões que os governos venham a tomar agora vão ter um efeito duradouro em centenas de milhões de jovens, assim como nas perspetivas de desenvolvimento dos países, durante décadas". Mais de uma centena de países ainda não anunciaram as datas de reabertura de suas escolas.

Guterres chamou atenção para problemas de nutrição, igualdade de gênero e até aumento no casamento com crianças em determinados países. A ONU lançou uma campanha chamada "Save Our Future" (Salve o nosso futuro) em que pede pela reabertura de escolas e que isso seja priorizado nas decisões econômicas dos países.

Leia também: O que a ciência diz sobre os riscos para as crianças na reabertura das escolas

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis! 

Loading...
Revisa el siguiente artículo