Sindicato de escolas privadas diz não concordar com retorno em setembro

Governo de São Paulo anunciou plano de retomada das aulas presenciais a partir do dia 8 de setembro; sindicato afirma ter condições de voltar antes

Por Ivana Moreira

As escolas privadas do Estado de São Paulo disseram não concordar com a data de retorno escolar, anunciada ontem pelo governo do estado, prevista para o dia 8 de setembro. Segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo (Sieeesp), que representa dez mil escolas privadas no estado paulista, a rede particular está preparada para a retomada e teria condições de voltar antes, em agosto, adotando todos os protocolos de higiene e saúde recomendados.

“Nós não concordamos, usaram nosso nome, não fomos consultados para esse plano. Estamos preparados com certificações e anuência de renomados médicos e da Associação Paulista de Medicina”, declarou Benjamin Ribeiro da Silva, presidente do sindicato. Ele criticou "a incompetência do estado e da prefeitura" por não conseguir se capacitar a tempo e reforçou que teria condição de voltar antes para atender aos 24% dos alunos do Ensino Médio em todo o estado paulista que frequentam a rede privada.

Leia também: Consed divulga documento com orientações para retomada de aulas presenciais em todo o país

 

Desde maio, a entidade  elaborou um protocolo para a volta às aulas com a participação de diversas entidades médicas e educacionais que foi entregue à secretaria estadual de educação e aguardava sua aprovação. Segundo Benjamin, a ideia era iniciar o retorno escolar pela educação infantil para evitar o fechamento de escolas, que vêm sofrendo com a retirada de alunos, e para apoiar os pais que voltaram a trabalhar e não têm com quem deixar os filhos.

Saiba mais detalhes sobre o anúncio de retorno escolar anunciado ontem pelo governo de São Paulo.

Leia também: Escolas particulares querem retomar aulas presenciais antes da rede pública

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a newsletter da Canguru News. É grátis! 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo