É seguro se exercitar de máscara? Médico do esporte dá dicas

Por Monica Garzón - Metro Internacional

Não é fácil sobreviver à quarentena, especialmente diante da eterna pergunta do que acontecerá depois, mesmo com a sua recente flexibilização gradual no mundo e no Brasil. Por essa razão, alguns países tornaram exceção sair para se exercitar ao ar livre, a fim de que as pessoas melhorem sua saúde e não se afundem em problemas mentais.

Um estudo, publicado pela revista científica britânica The Lancet, mostrou as sequelas negativas que traria o confinamento. Os resultados psicológicos durante a quarentena revelaram que 7% demonstraram sintomas de ansiedade e 17% sentimentos de raiva. Por isso, estão permitindo que as pessoas tenham horários para exercitar-se ao ar livre, em países como Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Reino Unido e Suíça, onde o pico já passou.

Sair para correr, caminhar ou fazer atividade física de maneira individual, em horários estipulados, para não propagar o vírus são algumas das regras estabelecidas. Mesmo assim, para que sejam levadas a cabo, é indispensável seguir normas como o uso obrigatório de máscaras.

Quem já teve de fazer um esforço físico usando uma máscara, sabe que isso pode ser um pouco incômodo. Para outras pessoas, o tema gera dúvidas sobre se é benéfico para a saúde utilizá-las durante o exercício, mesmo que seja um deslocamento de bike, por exemplo. Diante dessa dúvida, consultamos o médico do esporte Andrés Hernández.

É recomendável o uso de máscaras ao fazer exercício?
É absolutamente necessário, porque as recomendações assim o dizem. Fazer exercício com máscara é a única forma de prevenir a formação de aerossóis e que eles contaminem pessoas que estejam próximas.

É claro, a distância deve ser muito maior, de três a quatro metros entre uma pessoa que está trotando de outra, já que quando se está fazendo exercício, respira-se mais rápido, por isso são produzidas mais gotas (ou aerossóis) e isso pode ser causa de contaminação. Assim, é absolutamente necessário o uso.

Ela dificulta a entrada de oxigênio no corpo, aumentando a pressão sobre os pulmões e o coração?
Não, não existe nenhuma contraindicação para o uso da máscara. Pode ser um incômodo respirar com ela, pode ser que esquente muito o rosto, se produza mais acúmulo de suor, mas não por isso se deve deixar de usar, é uma fake news isso que falam de que pode chegar a produzir danos.

A possibilidade que o pulmão colapse pelo uso da máscara é zero, porque não se trata de um circuito fechado. O intercâmbio gasoso é dificultado um pouco, mas existe, além de que precisaria de muito tempo para que se chegasse a produzir algum acúmulo de CO2 [gás carbônico] tão grande para um colapso respiratório.

Quais seriam as recomendações para equipar-se ao fazer exercício ao ar livre durante a pandemia?
As recomendações neste momento seguem sendo as mesmas: isolamento social é muito importante, ainda mais entre quem sai para fazer exercício; [é necessário] lavar as mãos e ter cuidado com a roupa ao voltar.

Como usar a máscara corretamente

  1. Antes de usar
    Lave as mãos com água e sabão ou desinfete-as com álcool 70% em gel;
  2. Colocando
    Cubra bem boca e nariz. Assegure-se de que não há espaço entre seu rosto e a máscara, inclusive dos lados;
  3. Utilizando
    Evite ao máximo tocar a máscara enquanto a utilizar. Se for o fazer, higienize as mãos antes;
  4. Às vezes, troque
    Troque a máscara logo que ela ficar úmida e após duas horas de uso. E não reutilize máscaras de uso único;
  5. Tirando
    Tire a máscara por trás, segurando pelo elástico. Descarte-a imediatamente e lave as mãos com um álcool ou com água e sabão;
  6. Lavando
    Caso a sua máscara seja reutilizável, é preciso lavar após o uso. Deixe de molho por 30 minutos em uma solução com um litro de água e duas colheres de sopa de água sanitária ou lave bem com água e sabão. Depois enxágua e deixe secando.

Se mexer é bom

Você deve estar se perguntando: e aqui no Brasil, será que eu posso fazer exercício ao ar livre, então? Segundo a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, sim. Já no fim de março a entidade emitiu comunicado em que recomenda a realização de exercícios ao ar livre, especialmente por ter efeitos benéficos na saúde mental e física, em um momento no qual precisamos disso.

É claro, sempre respeitando rigorosamente todas as medidas preventivas, etiquetas respiratórias e higiênicas – e desde que não esteja proibida a circulação de pessoas na rua. A ideia é endossada pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Loading...
Revisa el siguiente artículo