Consequências da pandemia: 86 milhões de crianças podem passar a viver em situação de pobreza até o fim do ano

Análise do UNICEF e da ONG Save The Children aponta que, ao fim de 2020, número de crianças em situação de pobreza em países de baixa e média renda pode chegar ao total de 672 milhões

Por Heloísa Scognamiglio - Canguru News

Entre as inúmeras consequências da pandemia do novo coronavírus, está um possível aumento no número de crianças que vivem em situação de pobreza. A pandemia pode fazer com que 86 milhões de crianças passem a viver na pobreza até o final do ano de 2020, o que seria um aumento de 15%. A previsão faz parte de uma análise realizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pela organização não governamental (ONG) Save The Children. 

Caso a previsão se concretize, o número total de crianças em situação de pobreza em países de baixa e média renda chegaria a 672 milhões, sendo que dois terços dessas crianças estariam na África, ao sul do Saara, e na Ásia Meridional. A análise também prevê que esse número pode subir em 44% na Europa e em 22% na América Latina e no Caribe. 

Leia também – Por que ‘divórcio’ está entre as buscas que mais crescem no Google 

"A escala e a profundidade das dificuldades financeiras das famílias ameaçam reverter anos de progresso na redução da pobreza infantil e deixar as crianças privadas de serviços essenciais", diz Henrietta Fore, diretora executiva do UNICEF. Fore destaca que, se ninguém agir para impedir, crianças e famílias poderão "enfrentar níveis de privação que não têm sido vistos há décadas". Com o aumento das dificuldades socioeconômicas como uma das consequências da pandemia, as crianças se tornam ainda mais vulneráveis à infecção pelo novo coronavírus, pois, muitas vezes, elas não têm como se proteger. 

Segundo Inger Ashing, CEO da Save the Children International, as consequências da pandemia afetarão as crianças de forma muito dura. "As crianças são altamente vulneráveis a períodos curtos de fome e desnutrição, que as afetam potencialmente por toda a vida", afirma. Mas ele destaca que é possível evitar toda essa situação. "Se agirmos agora e de maneira decisiva, podemos prevenir e conter a ameaça de pandemia que os países mais pobres e algumas das crianças mais vulneráveis enfrentam. Este relatório deve ser um alerta para o mundo. A pobreza não é inevitável para as crianças", declara. 

Leia também – Crianças de até 6 anos serão as mais afetadas, a longo prazo, pela suspensão das aulas presenciais 

As recomendações do UNICEF e da Save The Children para evitar que a pandemia leve crianças à situação de pobreza incluem a expansão de sistemas e programas de proteção social pelos governos. Ele também pedem que os governos invistam no acesso universal a serviços de saúde de qualidade e em políticas voltadas para a família. 

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a newsletter da Canguru News. É grátis! 

Loading...
Revisa el siguiente artículo