Aérea LATAM pede recuperação judicial nos Estados Unidos; entenda o caso

Por Metro Jornal

O Grupo LATAM e suas afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos iniciaram, nesta terça-feira (26), uma "reorganização e reestruturação voluntária de sua dívida sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos".

A informação foi compartilhada pela empresa por meio de comunicado. Como revelado, a medida conta com o apoio das famílias Cueto e Amaro, e da Qatar Airways, dois dos maiores acionistas da LATAM.

“O processo de reorganização financeira com base no Capítulo 11 é um amparo legal comprovado por meio da qual a LATAM e as referidas afiliadas terão a oportunidade de redimensionar suas operações para o novo ambiente da demanda e reorganizar seus balanços, permitindo que emerjam mais ágeis, resilientes e sustentáveis. A LATAM e suas afiliadas continuarão a voar durante todo o processo, conforme as condições permitirem”, detalhou.

O grupo garantiu o suporte financeiro de acionistas para a obtenção de até 900 milhões de dólares em um financiamento DIP. Além disso, no momento do pedido, o grupo tinha aproximadamente $1.3 bilhões de dólares em dinheiro disponível.

"A LATAM e suas afiliadas também estão em discussões com seus respectivos governos no Chile, Brasil, Colômbia e Peru para apoio na obtenção de financiamento adicional, na proteção de empregos sempre que possível e na minimização de disrupções nas operações", explicou.

Funcionamento normal

Como revelado, a LATAM Airlines Group S.A. e suas afiliadas continuarão operando voos de passageiros e de carga, sujeitos a restrições de demanda e de viagem.

“Todas as passagens atuais e futuras, vouchers de viagem, pontos e benefícios do programa LATAM Pass, bem como políticas de flexibilidade, serão respeitados. Os funcionários do grupo continuarão sendo pagos e receberão os benefícios previstos em seus contratos de trabalho”.

“Os fornecedores serão pagos em tempo hábil pelos bens e serviços entregues a partir de 26 de maio de 2020 e ao longo desse processo.  As agências de viagens e outros parceiros comerciais não sofrerão interrupções em suas interações com o grupo LATAM”.

Ainda segundo o texto, as entidades da LATAM na Argentina, Brasil e Paraguai, não estão incluídas no processo de reorganização pelo Capítulo 11. A entidade da LATAM no Brasil está em discussão com o governo Brasileiro sobre próximos passos e suporte financeiro às operações brasileiras.

Com informações da LATAM

LEIA TAMBÉM: 

Loading...
Revisa el siguiente artículo