Efeitos da negligência na infância: falta de afeto e cuidado pode atrapalhar desenvolvimento do cérebro

Tomografias mostram cérebros de duas crianças da mesma idade: o maior e mais desenvolvido é da criança que viveu em um lar feliz, o menor é de uma criança negligenciada

Por Heloísa Scognamiglio - Canguru News

Vários estudos mostram como é importante que haja afeto, cuidado, carinho e amor durante os primeiros anos de vida. Isso porque os efeitos da negligência na infância podem ser devastadores. Situações de abandono ou de estresse podem fazer com que a criança não tenha um desenvolvimento cerebral pleno, resultando em consequências para o resto da vida. 

Um exemplo é o estresse tóxico, que ocorre quando uma criança tem que viver muitas situações de adversidade por um período longo e sem nenhum apoio ou acolhimento dos pais. O estresse tóxico pode causar uma interrupção do desenvolvimento saudável do cérebro infantil, levando a alterações comportamentais, redução da imunidade, ansiedade e depressão. Ou seja, crianças que são negligenciadas pelos adultos, sem afeto e carinho, podem ter seu desenvolvimento prejudicado. Ainda há estudos que relacionam estresse excessivo durante a infância a problemas emocionais e de memória, pressão alta, doenças do coração e obesidade. 

Leia também – Sociedade Brasileira de Pediatria sugere retomada gradual das aulas e grupos menores de alunos

Um desses estudos é o que foi realizado pelo psiquiatra americano Bruce Perry, pesquisador da Academia de Trauma da Criança em Houston e professor na Feinberg School of Medicine em Chicago, ambas nos Estados Unidos. No artigo, que foi publicado em 2017 e investigou os efeitos da negligência na infância e no desenvolvimento cerebral, Perry mostra tomografias dos cérebros de duas crianças de três anos de idade, lado a lado. Um dos cérebros é visivelmente maior que o outro. Confira as imagens dos cérebros abaixo: 

Efeitos da negligência na infância Reprodução/Professor Bruce Perry

 

O cérebro maior, na esquerda, pertence a uma criança saudável, que viveu em um lar acolhedor, e o tamanho está na média. Já o cérebro menor é de uma criança que sofreu com negligência e traumas emocionais. “Essas imagens ilustram o impacto negativo da negligência no desenvolvimento do cérebro”, diz Perry no artigo. 

Leia também – Aulas online: parceria entre escola e família é a palavra-chave 

Segundo o psiquiatra, o cérebro menor apresenta atrofia do córtex, o que pode causar atrasos de desenvolvimento e problemas de memória. A atrofia do córtex é comum em idosos com a doença de Alzheimer. A criança com o cérebro menor também sofre de privação sensorial severa, não tendo tido o contato usual com toques, sons e cheiros. Além desses efeitos da negligência na infância, também é citada no artigo a dificuldade de manter relacionamentos saudáveis durante a vida. 

Na conclusão do trabalho, Perry diz que “o desenvolvimento saudável dos sistemas neurais que permitem o funcionamento social e emocional ideal depende de cuidados atenciosos e acolhedores na infância e oportunidades para formar e manter uma diversidade de relacionamentos com outras crianças e adultos ao longo da infância”.

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a newsletter da Canguru News. É grátis!

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo