Pesquisa inovadora: estudo afirma que cannabis poderia aumentar a resistência ao coronavírus

Por Publimetro Chile / Tradução: Nathalia Marques

Novas pesquisas sobre o combate ao coronavírus avançam e alguns são realmente inusitadas. De acordo com um estudo realizado por cientistas canadenses, certos ingredientes ativos de um tipo de Cannabis, maconha, poderia aumentar a resistência ao coronavírus.

O estudo, que ainda está em fase de aprovação. argumenta que algumas substâncias da maconha podem reduzir a capacidade do vírus SARS-CoV2 de entrar nas células pulmonares onde se espalha.

"Os resultados do COVID vêm de nossos estudos sobre artrite, doença de Crohn, câncer e outros", disse Igor Kovalchuck, professor de biociência da Universidade de Lethbridge à DW.

O artigo publicado em preprints.org garante que as cepas de maconha especialmente desenvolvidas impedem que o vírus entre no corpo.

O Covid-19 precisa de um "receptor" para entrar na célula, cujo nome é conhecido como ACE2 (enzima de conversão da angiotensina II) e é encontrado no tecido pulmonar, na mucosa da boca e nariz, nos rins, nos testículos e no trato gastrointestinal.

A teoria indica que os canabioides podem alterar o acesso ao corpo devido à ausência do receptor ACE2. "Se não houver ACE2 no tecido, o vírus não pode penetrar", disse Kovalchuck, que no relatório conclui que o hospedeiro seria menos suscetível e vulnerável ao vírus.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo