Cuidado na pandemia: grávidas devem manter rotina médica do pré-natal

Gestante deve seguir acompanhada pelo ginecologista, com consultas e exames quando pedidos, evitando levar acompanhantes

Por Fabíola Salani - Metro

À espera de sua segunda filha, com 35 semanas de gestação, a analista administrativa Marisa das Graças Cataluna Nascimento, 43 anos, se viu em uma situação com mais dúvidas e inseguranças do que o normal de uma gravidez: a pandemia do novo coronavírus.

“Surgem muitas dúvidas e às vezes a gente fica sem resposta, porque o vírus é muito novo”, afirmou.

Marisa está em home office – situação mais recomendada para grávidas nesse momento, segundo especialistas – e tomando muitos cuidados, recomendados por sua obstetra: “Lavo as mãos toda hora, fico em casa na maior parte do tempo, nas poucas vezes que saio é com luva e máscara, não estou recebendo visitas”, afirmou.

Assim como Marisa, outras gestantes estão passando por dúvidas extras, além das que a gravidez já gera normalmente. Para ajudá-las, seguem questões mais comuns e respostas das médicas ginecologistas Roberta Grabert e Mariana Rosário, da Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo) e da Febrasgo (Federação Brasileira de Ginecologia).

A principal, repetida por todos eles, é: mesmo com a recomendação de redução de saída de casa para evitar exposição, o acompanhamento pré-natal com o médico deve ser mantido, com alguns cuidados extras para minimizar o risco, como uso de máscaras, ida a consultas e exames sem acompanhantes, quando possível (veja quadro).

Seguem outras questões e suas respostas.

A grávida está em grupo de risco para a covid-19?
Gestantes sempre são consideradas grupo de risco, pois durante a gestação há diminuição da imunidade da mulher, explica a médica Roberta Grabert. “A covid-19 não parece afetar mais as grávidas, como por exemplo, o H1N1”, afirmou ela. Mas as gestantes devem se resguardar ao máximo, por trata-se de uma doença nova e ainda não haver certezas de como a covid-19 afeta os recém-nascidos. Segundo a ginecologista Mariana Rosário, é um período em que o organismo fica propenso a adquirir doenças virais e bacteriológicas com mais facilidade.

A gestante deve tomar a vacina antigripe, mesmo com o risco de se expor?
A Sogesp recomenda que a gestante tome todas as vacinas que forem recomendadas, em especial a contra o vírus influenza, que imuniza contra o vírus A-H1N1.

A gestante deve ser afastada do trabalho?
Para Roberta Grabert, a melhor opção neste momento de incerteza é colocar as gestantes em home office. Caso ela apresente sintomas respiratórios (tosse seca, dor de garganta ou dificuldade respiratória) acompanhados ou não de febre, ou for profissional de saúde, a Sogesp orienta que seja afastada.

O que a gestante deve fazer se tiver sintomas semelhantes aos da covid-19?
Qualquer sintoma que se assemelhe a uma gripe ou resfriado deve ser imediatamente relatado ao médico, alerta Roberta Grabert. “Pode-se usar a telemedicina para avaliação dos sintomas e do estado da gestante. O médico orientará a gestante e a família.”

Parto domiciliar pode ser uma alternativa eficaz para diminuir riscos de contaminação pelo novo coronavírus?
A Febrasgo diz que essa ideia é equivocada. “À luz das pesquisas científicas, está bem definido que o parto realizado em ambiente hospitalar é capaz de assegurar melhores chances de cuidado à vida e à saúde da parturiente e do nascituro”, escreveu a entidade.

Parto normal ou cesárea: há diferença na prevenção?
Segundo Roberta Grabert, não há recomendação do tipo de parto pela infecção do vírus.  A Febrasgo observa que “o parto normal é sempre preferível”, mas a indicação da via de parto deve seguir as características de cada caso. “O médico deve definir o que for mais seguro para a parturiente e seu filho naquele momento.”

Recomendações para o pré-natal

Vá as consultas
Embora haja recomendação de isolamento social, as gestantes devem, sim, manter as consultas de pré-natal. A frequência pode ser alterada, para reduzir a exposição;

Confirme antes de sair
É recomendado sempre confirmar a consulta e ligar antes de sair de casa, para saber se há atrasos naquele dia;

Menor contato
Chegue no horário correto, para evitar contato com outras pacientes em salas de espera. Mantenha distância de outras pessoas que estiverem no local;

Sem acompanhante
Se for possível, prefira ir sozinha, sem acompanhantes, à consulta. Evite ao máximo levar crianças;

Proteção
Use máscara ao sair de casa. Higienize as mãos com frequência. Evitar tocar nos olhos, nariz e boca sem ter higienizado as mãos;

Ultrassom
Nesse momento, quando for necessário, deverá ser feito, mas novamente deve-se evitar ir acompanhada.

A hora do parto e o pós

Acompanhante
A princípio a gestante pode ter um acompanhante na hora do parto. Mas alguns hospitais podem restringir esse acesso nesse momento

Visitas
Na maioria das maternidades estão proibidas. As visitas em casa após o parto também são desaconselhadas

Amamentação
Se a mãe estiver com covid-19, mas com sintomas leves ou sem sintomas, ela pode amamentar o bebê. Mas ela deve higienizar as mãos e usar máscara

Fontes: ginecologistas Roberta Grabert e Mariana Rosário, da Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo) e da Febrasgo (Federação Brasileira de Ginecologia)

Loading...
Revisa el siguiente artículo