Como ajudar as crianças a administrar suas emoções

Por Canguru News

As emoções das crianças andam muito aguçadas – tanto quanto as dos pais, que que se sentem assustados diante desse cenário de pandemia, tão cheio de incertezas. É natural que os pequenos estejam com dificuldade para administrar as próprias emoções despertadas pela mudança brusca na rotina. Raiva, tristeza, ansiedade, decepção. Tudo isso é esperado.

“É muito importante escutar a criança e demonstrar que estamos legitimando o que ela está sentindo”, disse o pediatra Daniel Becker, em seu perfil no Instagram. “Todo sentimento é legítimo, mesmo que seja negativo e mesmo sem razão aparente.” Segundo o médico, acima de tudo, empatia pelos filhos nunca é demasiada. Ontem, ele relembrou post que fez o maior sucesso nos grupos de mães e pais, com dicas do que dizer aos filhos neste momento desafiador. Confira abaixo.

O que uma criança com raiva precisa ouvir?

Estou aqui./ Está furioso? Tudo bem sentir raiva./ Todo mundo se sente assim às vezes./ Só não posso permitir que você faça coisas erradas porque está com raiva./ Não pode bater.

O que uma criança triste precisa ouvir?

Estou aqui./ Você está triste…tudo bem se sentir assim./ Eu também fico triste à vezes. Tudo bem chorar…quer um abraço? / Você quer falar sobre o que está te deixando triste?

O que uma criança ansiosa precisa ouvir?

Estou aqui./ Tudo bem se sentir assim, todo mundo fica ansioso às vezes. 

Você pode me contar, se quiser./ Vamos pensar em um plano juntos?

O que uma criança decepcionada precisa ouvir?

Estou aqui./ Tudo bem se sentir assim. /Quer falar sobre isso?/ É difícil quando as coisas não saem do jeito que a gente queria./ Às vezes, as coisas parecem injustas.

Leia também:

5 ferramentas que podem ajudar na educação emocional
Seu filho é emocionalmente inteligente?

Loading...
Revisa el siguiente artículo