Você precisa controlar tudo e todos o tempo todo?

Entenda como sofre quem tenta exercer o domínio sobre tudo e todos

Por Bruna Rafaele

Você sente que precisa controlar os passos da pessoa parceira? Uma vida calculada parece ser sinônimo de uma vida que vai dar certo, mas, para algumas pessoas, viver o descompasso entre o que planejou e o que se vive é um tormento.

Viver tentando ter o controle e sob várias expectativas faz muito mal não só a si mesmo como às pessoas com as quais se convive.

A dinâmica da tentativa de controle

Pode ter sido por um momento de perda ou uma frustração própria ou de alguém que surgiu o pensamento de que é importante controlar para não sofrer, para ter tudo em ordem e os planos se concretizarem. Mas o que a sensação de que você precisa controlar acarreta em si?

Com a propagação de que é importante estudar e trabalhar enquanto as pessoas dormem, que não se pode descansar, o que se vê são pessoas cada vez mais doentes por quererem cumprir metas e deixando de viver com prazer.

Inclusive, passam a substituir a alegria de compartilhar momentos de lazer com amigos e família pela visão distorcida de que só podem ter prazer se conseguirem atingir metas estudantis e profissionais.

Não dá para viver bem agindo assim consigo mesmo, nem com as pessoas ao redor que demandam troca de presença, afeto e bate-papo. Viver assim é construir um inimigo dentro de si que tenta controlar seus passos a cada momento, transformando-o numa máquina para conseguir diploma, dinheiro, status ou aceitação dos outros.

Mas será que a vida é só isso? Será que temos de zerar nossos outros desejos em prol de algum sucesso? Será que é tão difícil seguir uma vida equilibrando carreira e vida pessoal?

O que sente uma pessoa que precisa controlar o tempo todo

Ouvi de um paciente: “O certo é não fazer planos!”. Achei interessante ele seguir esse lema porque era uma pessoa que tinha passado por muitos baixos na vida pessoal.

Tinha tentado controlar tudo, achava que estava tomando atitudes que realmente fariam com que a vida seguisse esse roteiro impecável.

De repente, a mulher o abandonou, e ele entrou em um espiral de dor, muita dor emocional mesmo. Ficou deprimido e fez escolhas muito ruins para se sabotar, arruinando-se ainda mais.

Ao descobrir que sofria muito mais por estar preso à sua tentativa de controle, ele entrou em análise e começou a trabalhar comigo sobre o que vivia dentro de si.

Outra paciente, tentando sair da situação de pobreza da família, focou de forma avassaladora nos estudos, com a intenção de ser a melhor profissional da sua área.

Desenvolveu vários problemas de saúde, como gastrite, insônia, enxaqueca, crises de ansiedade e depressão, e, quando deparou com as perdas dessa tentativa de controle de si mesma, viu-se distante de familiares, sem amigos e com um buraco emocional enorme.

Ela decidiu mudar depois de muito sofrer. Hoje, a escolha profissional nem é mais aquela que ela quis no passado. Está mais realizada do que um dia pensou conseguir.

O que dá para perceber nessas histórias é que, mesmo sofrendo muito, a pessoa que está neste círculo de correr atrás de seus sucesso acaba sofrendo e deixando para trás muito do que lhe faz feliz, do que alivia as tensões cotidianas.

Ela adoece porque o corpo e a mente reclamam por atenção e cuidado saudável. Soltar-se das amarras criadas na própria mente permite que se viva melhor, certamente!

Afinal de contas, o que é qualidade de vida? Lógico que não é apenas uma questão da própria pessoa ter criado essas amarras em prol do sucesso, mas na sociedade também se ouve que entrar em uma faculdade ou ter um emprego bom é sinal de que você venceu na vida.

Observe como esses dois exemplos já podem fazer muito mal para quem absorve isso como verdades que não podem sair desse roteiro.

Conheço casos de mulheres que lutam muito para conseguir se sentir bem com a escolha de não trabalhar para cuidar dos filhos e como as pessoas as criticam e isso as faz muito mal!

Mas será mesmo que só existe uma receita pronta para que todo mundo se sinta feliz? Será que é mais importante ser aceito pelos outros do que ser feliz com suas verdadeiras escolhas?

O controle é uma ilusão

Não somos peças de xadrez para viver num mundo de manipulação, nem manipulando, nem sendo manipulados. Mas, infelizmente, muita gente tenta incessantemente seguir essa dinâmica.

Tem gente que acha que o seu ciúme é capaz de fazer com que um casal fique junto pelo resto da vida. Mas isso não é nem nunca será um vínculo saudável, tal como manter alguém do lado por manipulação relacionada a ameaças.

Tentar controlar a si mesmo já é um esforço ilusório, imagina tentar controlar o sentimento de outra pessoa? Afinal não é por controle que se faz alguém amar.

Acaba-se criando uma relação de prisão não por amor, mas por outros sentimentos e condições tóxicas. Você já pensou em como uma pessoa refém do outro se sente?

É a diferença entre a expectativa e a realidade. Na expectativa, acredita-se que é possível conquistar algo pelo controle, mexendo com as peças “certas”.

Na realidade, as peças não são peças que podemos controlar, são pessoas, são situações e até o tempo e não é real essa possibilidade de domínio sobre o presente, muito menos sobre o futuro.

Se você vive uma vida baseada em ter controle ou ser controlado por alguém, busque ajuda para sair dessa rotina que gera tanto mal-estar. Ter realizações na vida não depende de manipulação.

+ Tudo que você quer saber sobre signos: características, elementos e mais.

+ Veja quais são as previsões para os signos em 2020 e como aproveitar as oportunidades.

+ Feliz ano novo astrológico! Saiba mais sobre o seu Mapa Astral do ano com a Revolução Solar.

+ Você sabe qual é o seu ascendente? Saiba tudo aqui.

Bruna Rafaele

Psicanalista, especialista em Saúde Mental. Faz atendimentos presenciais no Rio de Janeiro e consultas online no Personare.

[email protected]

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo