Santiago, no Chile, tem vasto cardápio de atrações para as crianças

Por André Mags - Metro Porto Alegre

Esqueça o conservadorismo coroinha ou a herança dos anos de chumbo. Santiago, a capital chilena, é a terra das crianças. Tanto que espere o fracasso: você não vai, em uma só viagem, fazer tudo que os pequenos merecem para ficarem todos suados, exalando brincadeiras e tombando cedo na cama depois de tanta atividade.

Por onde começar? Sei lá, quem sabe fazer o que estiver mais perto da sua hospedagem? Quanto ao cardápio de atrações infantis, digamos que é possível classificá-las conforme a altura: cerros, montanhas, arranha-céu.

Na real, que bobagem. Como se tudo em Santiago se resumisse a ir cada vez mais alto. Você pode ir até por baixo. Pegue o metrô, o melhor meio de locomoção na cidade, e chegue a quase tudo. O que não der para alcançar de metrô, condição que afeta bairros mais turísticos a nordeste do rio Mapocho, que corta a capital chilena ao meio – ponha neste catálogo trechos de El Golf e Las Condes e Vitacura inteiro –, eleve-se na crosta terrestre e chame um Uber.

Quanto à logística, Centro, Bellavista, Lastarria e Providencia são os melhores para se hospedar. Quer uma viagem divertida com os filhos? Santiago é a pedida!

Atrações em alta altitude

  • Sky Costanera (300m)
    É o edifício mais alto da América Latina – um bom argumento para pagar R$ 88 (adulto) e R$ 58 (criança) e subir ao 61º andar. O elevador será tão rápido e suave que ninguém vai ter ideia de como esse troço é alto.
    Santiago Chile Sky Costanera / André Mags/Metro
  • Cerro Santa Lucía (629m)
    Trata-se de um belo lugar para passear, que começa com uma feirinha indígena na base e passa por um castelo até chegar no topo. Mas entre um e outro você contará muitos passos e, tenho certeza, arfadas e uma suada de fazer rodinha no sovaco.
  • Cerro San Cristóbal (880m)
    Nada recomendável ir a pé, nem tente. Pegue o funicular, de 1925, e cuide o horário da volta: 19h45 no verão e uma hora antes no inverno.
  • Voo sobre os Andes (2500m)
    Começa no avião a delícia chilena. Onde o seu pirralho poderia iniciar uma viagem perto de casa – o trajeto aéreo direto desde Porto Alegre levará menos de duas horas em 2019 – vendo da janela um frenesi de montanhas nevadas? Onde? Aqui.
    Santiago Chile André Mags/Metro

Parques

  • Quinta Normal (Quinta Normal / Metrô Quinta Normal)
    Lago com pedalinhos, muito verde, pracinhas para crianças e o Museo Nacional de História Natural dentro dele. De lambuja, pertinho fica o Museo Artequin.
  • Forestal (Centro / Metrô Bellas Artes)
    Da urbanização das margens do rio Mapocho surgiu esse parque estreito e comprido com alamedas, caminhos, árvores, praças infantis e gente se exercitando nos fins de semana.

Centros de diversão

  • Farellones (32 km de Santiago)
    Com crianças, este é o melhor destino na neve próximo da capital chilena por ter mais alternativas de atividades do que Colorado, La Parva ou Valle Nevado – lembre que a neve está presente entre julho e meados de setembro. Bote na lista esquibunda, teleférico, bicicleta na neve ou, para os mais crescidinhos, skiboard e esqui. Sucesso garantido.
  • Kidzania (Las Condes / Metrô Manquehue)
    Veio até aqui? Já era. Estamos no domínio dos infantis, e você será escravizado(a). Eles terão uma cidade inteira para (des)coordenar, atuando como bombeiros, paramédicos, produtores de chocolate, mágicos ou muitas outras profissões e atividades. Do metrô ao parque, vá de Uber.
    Santiago Chile André Mags/Metro

Museus

  • Bicentenario (Vitacura / Metrô Tobalaba)
    O bairro chique de Vitacura guarda um dos espetaculares parques santiaguinos, o Bicentenario, inaugurado entre 2007 e 2011. A tranquilidade reina em meio a árvores e lagos com aves alimentadas com ração tirada de máquinas que engolem moedas. De quebra, pracinhas com equipamentos supermodernos.
  • Artequin (Quinta Normal / Metrô Quinta Normal)
    Baita sacada dos locais criar um museu de arte voltado a crianças. Obras de Van Gogh, Munch, Tarsila do Amaral e outros tantos ficam à altura dos baixinhos, que podem mexer em tudo. Pequenas oficinas permitem que eles façam versões de quadros como a “Mona Lisa”. Tudo isso dentro de um prédio de ferro fundido de 1889, trazido pedaço por pedaço da França.
  • De las Esculturas (Providencia / Metrô Pedro de Valdivia)
    A excelência chilena em urbanismo alcança o apogeu nesta área verde recheada com mais de 30 esculturas contemporâneas nacionais, e algumas até bem malucas. A gurizada tem real predileção pela obra “Libre Albedrío”, de Alicia Larraín, que é meio que um labirinto de tubos de metal. De quebra, tem ainda um museu com mostras temporárias.
  • História Natural (Quinta Normal / Metrô Quinta Normal)
    Dentro do Parque Quinta Normal, conta com boa estrutura e atrativos para os pequerruchos e até para os granduchos. Os astros são os esqueletos de dinossauros.
    Santiago Chile História Natural / André Mags/Metro
  • Precolombino (Centro / Metrô Plaza de Armas)
    Uma palavra para atrair as crianças: múmias. E elas vão curtir tudo o mais que verem neste muito bem cuidado e planejado museu. Vá sem receio.
  • MIM (La Granja / Metrô Pedrero)
    O Museo Interactivo Mirador, ou MIM (use a sigla, os santiaguinos não conhecem o museu pelo nome completo), merece um dia inteiro. São centenas de experiências científicas e informações sobre nosso planeta, o espaço, como funciona a gravidade ou o que faz um vulcão explodir em lava. Não perca!
    Santiago Chile Museo Interactivo Mirador / André Mags/Metro
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo