Mercado de vinhos vê 'boom verde' de produtos orgânicos, sustentáveis e até veganos

Por Metro Jornal

Mais do que tendência, o pensamento verde se tornou um comportamento do consumidor. Hoje, tal preocupação se estende a todas as esferas da vida, principalmente à alimentação. No universo dos vinhos, não é diferente. Surfando na onda, surgiram no mercado versões orgânicas, biodinâmicas, naturais, sustentáveis e veganas da bebida.

“A produção sempre existiu, mas de uns anos para cá houve um crescimento das adegas ecológicas”, explica Pepe Candau, brand ambassador do vinho espanhol 99 Rosas, o único biodinâmico do mercado que tem certificações europeia e brasileira.

De fato, a procura por  eles aumentou. Dados da empresa de pesquisa Wine Intelligence mostram um crescimento mundial de 20% na comercialização de vinhos orgânicos, nos últimos cinco anos. No Brasil, esse aumento foi de 30% nos primeiros seis meses deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado, segundo o Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho).

Além do emprego de práticas como o cultivo orgânico e sustentável, os rótulos apresentam também diferenças sensoriais, segundo Candau. “Manifestam um nariz mais suave e limpo, devido ao baixo conteúdo de sulfitos e à menor intervenção com produtos que podem alterar o aroma.”

Para explicar o boom verde no mercado de vinhos, o brand ambassador fala de uma mudança de comportamento do consumidor. “Como já estamos vendo em outros países, o consumo de produtos ecológicos não é só uma tendência, mas sim um hábito do consumidor, como ir à academia, usar hidratante na pele ou comer mais saudável.”

Vinhos biodinâmicos

Esse método, além de utilizar as práticas da agricultura orgânica, acrescenta também conceitos místicos ao processo de produção da bebida. Segue os preceitos de Rudolf Steiner, filósofo, educador e artista austríaco que também criou a antroposofia (“conhecimento do ser humano”) e a Pedagogia Waldorf. O Instituto Demeter, na Alemanha, serve como órgão regulador mundial do biodinamismo. Os vinhos produzidos a partir desses preceitos, após passarem pela avaliação de algum centro especializado, trazem o selo biodinâmico.

Sugestão: Quinta do Romeu Douro – R$ 99*

Vinhos orgânicos

Esse tipo é feito somente com uvas orgânicas. Essa forma de plantio não permite o uso de agrotóxicos, como pesticidas, herbicidas e fungicidas artificiais, fertilizantes sintéticos, além de respeitar a diversidade biológica do local e empregar práticas de sustentabilidade com relação aos recursos utilizados, entre outros cuidados. Porém, nessa categoria ainda é permitido, por exemplo, o uso de leveduras selecionadas e o conservante dióxido de enxofre (em quantidades reduzidas).

Sugestão: 99 Rosas Rosado – R$ 56*

Vinhos sustentáveis

Os viticultores que praticam a sustentabilidade seguem em grande parte a agricultura orgânica e biodinâmica, além de ter a flexibilidade de escolher o que funciona melhor para a sua propriedade em específico. As práticas não só são ecologicamente corretas, mas economicamente viáveis e socialmente responsáveis. Também buscam conservação da água e energia, utilizando sempre recursos renováveis.

Sugestão: Denis Dubourdieu Château Reynon – R$ 166*

Vinhos veganos

Você sabia que nem todos os vinhos são veganos? A razão tem a ver com a forma como a bebida é clarificada – processo de purificação do vinho, no qual um agente filtrante é adicionado. As substâncias utilizadas podem ser de origem mineral ou animal. Os mais comuns são caseína (proteína do leite), gelatina (proteína animal) e albumina (da clara do ovo). Já os veganos, de origem mineral, são geralmente a bentonita e o carvão ativado.

Sugestão: Caldora Trebbiano D’Abruzzo – R$ 65*

Vinhos naturais

A categoria engloba vinhos elaborados com preceitos da agricultura orgânica que não utilizam produtos químicos artificiais no processo de vinificação, como as leveduras. É liberado apenas o uso de dióxido de enxofre no engarrafamento, mas em quantidades muito menores do que as usuais e muitos não o usam. No entanto, a classificação é debatida. Isso porque não existe qualquer certificação ou legislação por trás da prática, cada produtor a descreve de uma forma diferente.

Sugestão: Era dos Ventos Peverella – R$ 250*

*Valores sugeridos

Loading...
Revisa el siguiente artículo