Confira cinco dicas de cuidados com pets durante viagens

Por Metro Jornal

Fim de ano chegando e os planos de viagem estão a todo vapor. Dessa vez vai a família toda, inclusive o pet. Mas será que ele está realmente preparado para embarcar com todo mundo?

Um dos principais pontos indicado pelos veterinários do CRMV-SP (Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo) é fazer um check-up da saúde dos animais, tanto os que vão sair de viagem com os tutores, quanto os que vão ficar em casa.

Veja também:
‘Cachorro é um filho que aprende de forma diferente’, aponta adestrador; veja dicas de cuidado
App revela se conversa no WhatsApp tem ‘segundas intenções’

Confira cinco dicas para te ajudar nos preparativos:

1. Consulte um veterinário

O ideal é que o pet passe por um check-up com antecedência, para verificar o estado de saúde, a carteira de vacinação e os prazos dos controles de parasitas – como vermes, pulgas e carrapatos. O destino pode determinar muito sobre algumas precauções . “Por exemplo: se vai à praia, a proteção contra a dirofilariose, doença conhecida como “verme do coração”, é indispensável. Se a região de destino é endêmica para a leishmaniose, é preciso prevenção contra a doença também”, explica a veterinária do CRMV-SP Carolina Filippos.

2. Lembre-se das necessidades para o transporte

Informe-se sobre as leis de trânsito para transportar animais no veículo. Além disso, tenha em mente que o bichinho também precisa ser bem cuidado no trajeto. “Faça pausas a cada duas ou três horas, para que o animal se movimente, tome água, possa se refrescar e fazer suas necessidades”, orienta a veterinária.

Em casos de viagens de ônibus e avião, é preciso verificar as regras específicas das companhias. E em viagens internacionais, cada país tem suas regras. No site do CRMV-SP, existe um Guia Para Emissão de Atestados de Saúde de Pequenos Animais, com várias informações.

3. Identificação!

Ainda que seu pet seja tranquilo, coloque uma coleira com informações para contato. O microchip também pode ter essa funcionalidade – inclusive, é obrigatório em alguns países.

4. Leve um kit de primeiros socorros

“Além de insumos para pequenos curativos, podem ser levados medicamentos contra dor, enjoos, para reações alérgicas, pomada cicatrizante e colírio lubrificante, sempre com orientações de um médico-veterinário”, enfatiza Filippos.

5. Cuidado com piscinas e praias

Fique atento aos riscos de afogamento. Em casos de piscinas, é importante que haja uma saída fácil para o pet, em caso de queda na água. E não esqueça de dar banho nele em caso de acidente desse tipo, pois a água com cloro pode causar reações alérgicas no animalzinho.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo