Verão mais magro: estes 3 motivos são suficientes para que você fuja das dietas rápidas

Por Rodrigo Almeida

Com a chegada da primavera, as pessoas costumam seguir dietas da moda, que geralmente são sempre milagrosas, eficazes e rápidas para obter o famoso "verão sem camisa". O problema é que muitos desses métodos para perder peso, apesar de muito seguidos e recomendados, têm efeito rebote.

A especialista em nutrição Paula Camus explica que “esses tipos de dietas não são sustentáveis ​​ao longo do tempo e, quando as pessoas retornam à alimentação normal, ocorre um ganho de peso notável”.

“É realmente muito melhor procurar uma dieta equilibrada sem cair em restrições, porque, no final, isso também faz com que as pessoas se divirtam ou tenham experiências ruins”, finaliza Paula.

Razões para não fazer essas dietas

Sentindo-se desidratado

Quando as pessoas perdem o peso muito rapidamente, geralmente é apenas a remoção de líquidos e "isso pode causar desidratação rápida, causando sérios problemas e desconfortos no corpo, como fadiga ou tontura", diz a especialista.

Cansaço

Dietas rápidas envolvem privar-se de calorias. As calorias se traduzem na energia que o corpo precisa para passar o dia.

“Se não tivermos isso, ficaremos cansados ​​a maior parte do dia. Portanto, é melhor consumir as calorias necessárias, não aumentar ou diminuir e, assim, melhorar o metabolismo”, afirma a nutricionista.

Desnutrição

Dietas rigorosas ou jejum são perigosos e inseguros porque "impedem o corpo de obter as vitaminas e minerais necessários. Se o corpo for impedido disso por um período de tempo, provavelmente atingirá um estado de desnutrição”, diz Paula.

Qual é a melhor opção?

Para o nutricionista, o único caminho é seguir uma dieta equilibrada. Isso nos ajudará no nosso bem-estar físico, mental e emocional. "Embora os resultados possam não ser imediatos, mas durarão com o tempo", diz Paula.

“A ideia é comer alimentos que gerem saciedade para evitar consumir produtos que não são saudáveis ​​o dia todo. Para isso, o importante é sempre consumir proteínas para evitar a fome, priorizar vegetais de todos os tipos e ordenar as refeições. Os carboidratos como macarrão, arroz, quinoa, entre outros, também devem ser consumidos em boa medida”, conclui Paula Camus.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo