Sonda espacial Mars 2020 da NASA vai buscar fósseis microscópicos em Marte

Por Wellington Botelho

Cientistas do veículo espacial Mars 2020 da NASA devem descobrir o que pode ser um dos melhores lugares para procurar por sinais de vida antiga na Cratera Jezero, onde a sonda pousará em 18 de fevereiro de 2021 em Marte.

Um artigo publicado hoje na revista Icarus identifica depósitos distintos de minerais chamados carbonatos ao longo da borda interna de Jezero, local de um lago há mais de 3,5 bilhões de anos. Na Terra, os carbonatos ajudam a formar estruturas resistentes o suficiente para sobreviver em forma de fóssil por bilhões de anos, incluindo conchas do mar, corais e alguns estromatólitos – rochas formadas neste planeta pela antiga vida microbiana ao longo de linhas costeiras antigas, onde a luz do sol e a água eram abundantes.

Mars 2020 é a missão de próxima geração da NASA, com foco na astrobiologia, ou no estudo da vida em todo o universo. Equipado com um novo conjunto de instrumentos científicos, o objetivo é aproveitar as descobertas já realizadas pela agência.  A sonda buscará sinais reais de vida microbiana passada, colhendo amostras de rochas que serão depositadas em tubos de metal na superfície marciana. Missões futuras podem devolver essas amostras à Terra para estudos mais aprofundados.

Além de preservar os sinais da vida antiga, os carbonatos podem nos ensinar mais sobre como Marte passou de água líquida e uma atmosfera mais espessa para o deserto gelado de hoje. Minerais de carbonato formados a partir de interações entre dióxido de carbono e água, registrando mudanças sutis nessas interações ao longo do tempo. Nesse sentido, eles agem como cápsulas do tempo que os cientistas podem estudar para aprender quando – e como – o Planeta Vermelho começou a secar.

Medindo 45 quilômetros de largura, a Cratera Jezero também já foi o lar de um antigo delta do rio. Os "braços" deste delta podem ser vistos alcançando o fundo da cratera em imagens tiradas do espaço por missões de satélite.

Mars 2020 Reprodução

Não é garantido que os carbonatos da costa foram formados no lago; eles poderiam ter sido depositados antes que o lago estivesse presente. Mas sua identificação faz da borda ocidental do local um dos tesouros mais ricos desses minerais em qualquer lugar da cratera.

A equipe de Mars 2020, que será lançado no próximo ano e terá uma viagem estimada de quase 12 meses, espera explorar o chão e o delta da cratera durante a missão principal de dois anos do veículo espacial.

A antiga margem do lago de Jezero não é o único lugar que os cientistas estão animados para visitar. Um novo estudo aponta para um rico depósito de sílica hidratada na beira do antigo delta do rio. Como os carbonatos, esse mineral é excelente em preservar os sinais da vida antiga. Se esse local for a camada inferior do delta, será um local especialmente bom para procurar fósseis microbianos enterrados.

LEIA TAMBÉM:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo