Descubra SP no feriado: Destinos pouco conhecidos no Estado são opção de passeio

Por Metro Jornal

Feriadão à vista e muitas vezes a gente não sabe o que fazer. Ou até mesmo não tem vontade de viajar porque pode acabar pesando no bolso. Mas a verdade é que não precisa ir longe e nem gastar muito para viajar no estado de São Paulo. Com seus 248,2 mil km², a região tem uma crescente variedade de roteiros para todos os perfis de viajantes. Esta é uma seleção de “novos” destinos -novos porque são lugares menos tradicionais para o turismo, mas que estão ganhando estrutura para receber cada vez melhor-, ideais para serem visitados num fim de semana ou feriado prolongado.

Pantanal Paulista

O nome já mostra que essa região a cerca de 600 km da capital – abrangendo Andradina, Castilho, Ilha Solteira, Itapura, Pereira Barreto, Sud Mennucci e Suzanápolis – traz para SP a diversidade de atrações do pantanal da região Centro-Oeste, da qual está próxima. Nos sete municípios, pelos quais passa o rio Paraná, os visitantes podem usufruir de praias de água doce, conhecer a Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira, a sexta maior do país, zoológico, praticar esportes aquáticos, pesca e mergulho. Além de cicloturismo, a região abriga um forte do século 19, museu sobre a colonização e uma Cidade da Criança.

Pantanal Paulista Divulgação

Tapiraí

A cidade, encravada no meio da Mata Atlântica, é o lugar ideal para aqueles que gostam de natureza, mas não querem ir muito longe, já que fica a aproximadamente 160 km da capital. Com sete cachoeiras e quatro mirantes, quem vai para lá tem a garantia de se deparar com paisagens bonitas nas diversas trilhas. A observação de pássaros é outro atrativo do local, que abriga o Santuário Ecológico Amigos da Mata Atlântica. Um dos maiores produtores de gengibre do estado de São Paulo, é possível encontrar na cidade o ingrediente em quase tudo – balas, doce de amendoim, cocada, geleia, pimenta e cerveja artesanal.

Tapiraí Divulgação

Divinolândia

Este pequeno município a pouco mais de 260 km da capital vive da agricultura, mas também na culinária tem seus trunfos. Lá é possível encontrar duas recentes reinvenções paulistas de receitas mineiras: o queijo trufado com requeijão e o pão de queijo doce. Neste roteiro, vale uma visita ao Museu do Café e a plantações do grão. Há na cidade cinco rotas de cicloturismo, trilhas, além de cachoeiras e a Igreja Ecológica de São Francisco de Assis,  onde há mais de 2 mil espécies de plantas e peixes.

Divinolândia Divulgação

Circuito Alto Mogiana

Por onde antes passavam os trilhos da antiga Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, hoje existem as cidades que formam o circuito, envolvendo 28 municípios do nordeste de São Paulo e sul de Minas Gerais, distante 330 km da capital. Nele, é possível fazer a Rota da Arte, com museus dedicados artistas como Candido Portinari, na cidade-galeria de Brodowski, Marcelo Grassmann, em São Simão, e do ítalo-brasileiro Bassano Vaccarini, espalhadas por todo município de Altinópolis. Durante o trajeto, o viajante pode aproveitar e passar por Dumont, cidade natal de Santos Dumont, o inventor brasileiro do avião.

Circuito Alta Mogiana Divulgação

Pirassununga

Nada mais adequado para esta cidade, famosa por pela produção da 51, oferecer o Roteiro da Cachaça. Neste tour, a cerca de 215 km da capital, o participante pode conhecer mais a fundo todo o processo de produção da bebida brasileira e sua história. O roteiro inclui visitas a alambiques, degustação e contato com especialistas. No Museu da Cachaça, que tem entrada gratuita, estão mais de 3 mil garrafas de aguardentes já produzidos na região de Pirassununga desde o início do século passado.

Pirassununga Divulgação

Araçoiaba da Serra

A 114 km da capital se encontra a cidade de Araçoiaba da Serra, com cerca de 33 mil habitantes. O município tem vocação para a natureza e abriga parte da Floresta Nacional de Ipanema, uma Unidade de Conservação Federal de Mata Atlântica de 5.069,73 hectares, reunindo trilhas para caminhada, mountain bike e jipes, além de escalada. Os menos aventureiros podem encontrar na cidade um turismo mais rural, acompanhado de muita história, cultura e gastronomia caipira, e até mesmo balonismo.

Araçoiaba da Serra Marcelo Afonso/Divulgação

Salto

O município, atravessado pelo rio Tietê, tem como principais atrativos – todos gratuitos – atividades pedagógicas, especialmente para as crianças. É lá que fica o último salto d’água do rio (daí o nome) e um memorial dedicado a ele. Na cidade, distante 100 km da capital, há muita área verde para ser conhecida, concentrada em três locais – Parque Natural Ilha da Usina, o Parque Rocha Moutonnée, e o Parque de Lavras. De quebra, é possível admirar toda a paisagem da região em um mirante 360º no topo da recém-inaugurada ponte estaiada.

Salto Divulgação

+1: Caminhos da Mantiqueira

Este destino fica em Minas Gerais, mas ainda assim está pertinho, a 260 km da capital paulista. Há, hoje, dois principais roteiros no local. No primeiro, existem três trilhas de bike por cidade, de nível fácil, médio e difícil, por onde estão espalhados QR Codes que sinalizam cachoeiras, oficinas e bebedouros durante o percurso. No outro, gastronômico, a rota inclui comidas tradicionais da região, desde produções mais antigas às mais recentes, como um dos primeiros azeites brasileiros, cafés especiais, vinhos, cachaças, cervejas artesanais e doces típicos do sul de Minas.

bike bicicleta Pexels
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo