Sommelier dá dicas para conservar qualidade do vinho em dias quentes

Por Metro Jornal

Para os amantes do vinho, toda primavera e todo verão trazem uma antiga preocupação: como manter a qualidade da bebida mesmo com as altas temperaturas típicas das estações por aqui? Especialistas no assunto advertem: é preciso mesmo ter cuidado, porque o calor excessivo pode literalmente acabar com a festa, transformando aquele cobiçado rótulo num vinagre.

Para conservá-los o melhor é, sem dúvida, uma adega climatizada para evitar não apenas o calor, mas também as variações de temperatura, segundo sommelier da loja de vinhos Wine. “Outra alternativa é colocá-los em ambientes mais frescos da residência”, acrescenta.

Seja lá onde for guardar, é preciso ter em mente que o calor excessivo é, sim, um problema para o vinho. “Evite, por exemplo, conservar em varandas e cozinhas que são geralmente ambientes mais quentes”, observa a sommelier.

Como armazenar

  • Armazenamento
    Guarde em locais sem oscilação de temperatura, e em ambientes escuros. A umidade do local também não deve ser alta nem muito baixa.
  • Geladeira
    A geladeira não é recomendada para guardar os vinhos, pois a baixa umidade do ambiente pode secar a rolhas, fazendo com que ela retraia deixando livre a entrada de oxigênio. Mas ela é útil para deixar resfriar ou gelar antes de beber ou guardar vinhos que não foram inteiramente consumidos.
  • Temperatura
    A temperatura ideal de armazenamento é de 13ºC a 15ºC, se for um pouco abaixo dos 13 não tem problema também (por volta dos 11ºC ou 12ºC). Quanto mais alta a temperatura, maior a velocidade das reações químicas e, consequentemente, mais rápida a deterioração do vinho.
  • Posição
    Vinhos que serão consumidos em até cinco anos podem ficar na posição horizontal ou vertical.

Sabor e qualidade

Mas, afinal, porque o calor é considerado um arqui-inimigo dos vinhos? Segundo a sommelier, dentro da garrafa as reações químicas não param e aumentam de velocidade com  elevações e variações na temperatura, ou seja, o calor pode acelerar esse processo de envelhecimento da bebida, alterando o sabor e a qualidade dos vinhos.

“Quanto maior a temperatura, mais rápido o vinho vai se deteriorar, pode gerar aromas e sabores desagradáveis”, afirma a sommelier. De acordo com a sommelier, os mais suscetíveis à degradação são os vinhos brancos, rosés e espumantes, pois têm menos compostos antioxidantes se comparados com os tintos.

Também vale lembrar que nem todos os vinhos são de guarda, ou seja, foram feitos para serem envelhecidos. Se você comprar um vinho jovem, consuma em até dois anos, tempo que pode alterar de vinho para vinho, mas, em geral, a partir daí a curva de vida do vinho jovem começa a cair.

Sabor e leveza

Para quem busca um vinho saboroso e fácil de ser bebido, o Que Guapo Branco é uma boa opção. Assim como os rosés e espumantes, é um tipo mais leve, refrescante, para ser servido gelado.  Ele tem aromas de frutas como pêssego e pera, com notas florais. Elaborado pela Viña Las Perdices em Agrelo, microrregião aos pés dos Andes, e uma das mais famosas de Luján de Cuyo, na Argentina.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo