Telescópio Espacial Webb da NASA deve revelar ministérios impressionantes da Via Láctea

Por Wellington Botelho

Um buraco negro pesando 4 milhões de vezes mais que o nosso Sol é cercado por milhões de estrelas girando em torno dele a uma velocidade vertiginosa. Esse ambiente extremo é banhado por intensa luz ultravioleta e radiação de raios-X. No entanto, grande parte dessa atividade está oculta da nossa visão, obscurecida por vastas faixas de poeira interestelar. Como solução, o próximo Telescópio Espacial James Webb da NASA foi projetado para ver o universo em luz infravermelha, invisível ao olho humano, mas também é muito importante para observar objetos astronômicos ocultos por poeira.

Após seu lançamento em 2021, Webb reunirá luz infravermelha que penetrou no véu empoeirado, revelando o centro galáctico em detalhes sem precedentes, de acordo com informações divulgadas pela agência espacial. 

Telescópio Espacial NASA

Telescópios no solo e no espaço já proporcionaram visões tentadoras dos moradores do centro galáctico. Os astrônomos já rastrearam estrelas orbitando o buraco negro, algumas das quais se aproximam o suficiente para fornecer um teste à teoria geral da relatividade de Einstein. No entanto, até agora, apenas as estrelas mais brilhantes são detectáveis.

Os cientistas já se surpreenderam ao encontrar estrelas de baixa massa se formando perto do buraco negro supermassivo – algumas delas a poucos anos-luz de seu alcance. Teoricamente, a imensa gravidade do buraco negro e o ambiente severo de radiação devem perturbar as nuvens de gás e impedir que colapsem nas estrelas. No entanto, essas estrelas-bebês chamadas protoestrelas persistiram.

Mistérios do buraco negro

O buraco negro supermassivo da Via Láctea de ser desvendado por Webb. Ele está rodeado por um disco de gás e poeira, alguns dos quais inevitavelmente caem no buraco negro. Os astrônomos observaram labaredas de luz quando o buraco negro engoliu um pedaço de material. No entanto, eles nunca detectaram o brilho do disco do buraco negro.

Os dados de Webb também podem ajudar a abordar questões mais amplas de como as galáxias se formam – como o problema de longa data de "galinha e ovo" que veio primeiro, a galáxia ou o buraco negro.

Além disso, estudos mostraram que a massa do buraco negro central de uma galáxia está relacionada à massa total das estrelas circundantes, mas as razões para esse relacionamento permanecem desconhecidas.

Possibilidades aleatórias

Por fim, os resultados mais empolgantes das observações do Telescópio Espacial podem ser inesperados. Por exemplo, Webb pode encontrar estrelas em órbitas incomuns. Ou, Webb também pode detectar uma nuvem de gás destinada a ser destruída por forças gravitacionais.

Idealmente, esses estudos iniciais do centro galáctico informarão futuras observações do Telescópio Espacial. Ao revisitar por um período de vários anos, os astrônomos podem obter uma nova compreensão dessa região caótica do espaço.

As observações descritas aqui serão realizadas como parte do programa de Observação de Tempo Garantido (GTO). O programa fornece tempo dedicado aos cientistas que trabalharam com a NASA para desenvolver as capacidades científicas e instrumentais ao longo de seu desenvolvimento.

O Telescópio Espacial James Webb será o principal observatório mundial de ciências espaciais quando for lançado em 2021.

Com informações da NASA

LEIA TAMBÉM:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo