Você sabe quanto dura o tratamento do colesterol?

Por Eduardo Ribeiro, Metro Jornal

Se você não sabe a resposta, está ao lado de quase metade dos brasileiros que participaram de uma pesquisa da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia). Segundo o levantamento, 49% das 850 pessoas, com idade acima dos 25 anos, entrevistadas em todo o Brasil, desconhecem  quanto dura o tratamento para baixar o colesterol.

Para a SBC, este é um dos pontos mais preocupantes dos dados analisados, pois indica a falta de conhecimento sobre um fator que pode causar doenças fatais. O médico Fernando Costa, diretor de promoção da saúde cardiovascular da SBC, responde à pergunta: “Uma vez tido o problema com colesterol, o tratamento e o acompanhamento devem ser feitos pelo resto da vida”.

Ainda segundo a pesquisa, divulgada como parte das ações de conscientização no Dia Nacional de Combate ao Colesterol, celebrado hoje, 41% dos brasileiros não se preocupam com as taxas de colesterol e 11% nunca fizeram o exame. O levantamento mostrou que 67% das pessoas não sabem sua taxa atual de colesterol e 65% desconhecem que o LDL é o colesterol ruim.

Também detectou que 89% dos entrevistados acreditam que todas as pessoas precisam realizar o exame de colesterol, mas quase a metade (47%) fez o exame pela última vez há mais de um ano ou nunca.

O colesterol é um tipo de lipídio que, em excesso na corrente sanguínea, é considerado o vilão das temidas doenças cardiovasculares. Trata-se de uma substância gordurosa naturalmente presente na membrana das células de todo o organismo.

“O colesterol é importante para a formação de hormônios de vitamina D e até ácidos biliares, que ajudam na digestão das gorduras da alimentação”, afirma o cardiologista Marcelo Sampaio. “Mas, se não for controlado, pode ser danoso e comprometer a saúde”, completa.

O colesterol elevado atinge 40% da população adulta no Brasil. “Mais de 57 milhões de pessoas podem ter um infarto ou um AVC, a qualquer momento, sem o devido controle”, frisou Fernando Costa.

Segundo a entidade, as doenças cardiovasculares matam cerca de 400 mil brasileiros todos os anos. “O ideal é ter o colesterol total abaixo dos 200mg/dl, o LDL abaixo dos 100 mg/dl, e, o HDL (colesterol bom), acima dos 40  mg/dl nos homens e acima de 50 mg/dL no caso das mulheres”, explicou o cardiologista Costa.

“O tratamento para baixar o colesterol LDL (ruim) nem sempre consiste em tomar remédios”, alerta a cardiologista Ana Luiza Lima. “Normalmente, começa com mudanças para um estilo saudável, com dieta equilibrada e prática de atividade física e abandono do cigarro, álcool e estresse. Mas, se todas essas mudanças não forem suficientes, o cardiologista poderá receitar remédios para controlar o colesterol”, explica a médica. Quando o médico dá o remédio e o doente não faz dieta, não adianta nada.

Quem tem colesterol alto deve fazer o exame de sangue pelo menos uma vez por ano, mas quem nunca teve problemas com o colesterol, nem casos de colesterol alto na família, deve realizar o exame pelo menos a cada cinco anos. Quando os pais ou avós possuem colesterol alto, é importante realizar o exame a cada três anos a partir dos 20 anos de idade, mesmo que nunca tenha tido colesterol alto.

Como baixar o colesterol

A manutenção das taxas ideais de colesterol no sangue é importante porque a sua elevação aumenta o risco de doenças e eventos cardiovasculares como o infarto, o que pode ser evitado com algumas medidas relativamente simples:


Alimentação

A dieta que deve ser pobre em gorduras e rica em alimentos integrais e fibras, e deve favorecer a perda
de peso. O ideal é que o IMC esteja abaixo de 25 Kg/m2 e que a circunferência da cintura seja menor que 102 cm para homens e menor que 88 cm para mulheres.

O que comer: frutas, legumes, grãos integrais, como aveia, linhaça e chia, carnes magras como peixes
e frango sem pele, alimentos ricos em gorduras boas como abacate e castanha, salada com azeite, leite
e iogurte desnatados, queijos brancos como a ricota e ervas para temperar. Preparar alimentos grelhados, cozidos no vapor ou com pouco óleo adicionado durante o cozimento.

O que evitar: açúcar, pães doces, doces em geral, bolos, sorvetes, embutidos como salsicha, linguiça e salame, carnes gordas como bacon, toucinho, tripas e moela, queijos amarelos, manteiga, margarina, comida congelada como pizza e lasanhas e frituras, e produtos industrializados, como bolos, bolachas recheadas e chocolate.


Pratique Exercícios

A atividade física contribui no tratamento do colesterol e de doenças cardíacas porque ajuda a perder peso, aumenta a força muscular e diminui o estresse. Deve-se fazer exercícios aeróbicos como caminhar ou andar de bicicleta diariamente, por cerca de 30 a 60 minutos.

Mudança de hábitos

Evite fumar e o uso de bebida alcoólica durante o tratamento do colesterol alto, pois o álcool aumenta os triglicerídeos e favorece o ganho de peso.

  


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo