A fruta não cai longe do pé; psicóloga explica porque há um filho que briga mais com um dos pais

Por Rodrigo Almeida

A convivência familiar não é nada simples. Personalidades e interesses se misturam de forma que às vezes não é possível chegar a um acordo entre muitas situações e se produzem discussões normais em qualquer família.

Segundo psicólogos, as mães se sentem frustradas ao ver as filhas cometendo os mesmos erros que elas e, ao tentar tomar o controle das ações, os conflitos se geram.

No entanto, os pais têm o dever de cuidar dos filhos, mesmo que isso signifique ir contra o bem-estar deles. O que não deve ser deixado de lado é manter o equilíbrio e ceder quando necessário.

O mais impressionante é que o filho que mais discute com um dos pais é o que mais se parece a ele, segundo a psicóloga Marta Segrelles, da Federação de Saúde Mental da Catalunha. A especialista explica no Blog Psicoemocionat.com que esses pais observam atitudes nos filhos que eles gostariam de evitar.

Por que isso acontece?

Uma das causas é que durante a infância das crianças as crianças imitam o que escutam e vem dos pais, desde os gestos até as palavras.

“Tudo o que irrita outros seres é somente uma projeção de que nãos há resolvido de si mesmo”, diz Segrelles.

Devido a isso, as manifestações de sentimento negativo provocadas pelos pais de forma inconsciente começam a gerar os problemas, pois a eles não gostam essa forma de ser.

O que fazer?

Nada melhor que a aceitação. Os pais devem aceitar essas atitudes como parte do desenvolvimento das crianças e manusear as situações com inteligência para evitar confrontos desnecessários. É a maneira mais útil de chegar a um acordo saudável sobre os diferentes temas que definem o cotidiano de uma família.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo