Telescópio Hubble revela detalhes da atmosfera impressionante de novo planeta descoberto pela NASA

Por Wellington Botelho

Dois telescópios espaciais da Agência Espacial Americana (NASA) se uniram para identificar, pela primeira vez, a "impressão digital" química detalhada de um planeta entre os tamanhos da Terra e Netuno.

Nenhum corpo celeste como este pode ser encontrado em nosso próprio sistema solar, mas eles são comuns em torno de outras estrelas, de acordo com a agência

Gliese 3470 b tem um grande núcleo rochoso enterrado sob uma profunda atmosfera de hidrogênio e hélio. Pesando 12.6 massas terrestres, o planeta é mais massivo que a Terra.

Muitos planetas semelhantes foram descobertos pelo observatório espacial Kepler da NASA, cuja missão terminou em 2018. Com as informações, os astrônomos da instituição podem descobrir pistas sobre a natureza e origem do planeta.

Os astrônomos recrutaram os recursos combinados de múltiplos comprimentos de onda dos telescópios espaciais para fazerm um estudo inédito sobre a atmosfera do GJ 3470 b.

Para o estudo criterioso, os equipamentos observaram 12 trânsitos e 20 eclipses. A ciência de analisar as impressões digitais químicas com base na luz é chamada de "espectroscopia".

A atmosfera do GJ 3470 b mostrou-se na maior parte clara, com apenas neblinas finas, permitindo aos cientistas sondar profundamente a atmosfera.

Acredita-se que outros exoplanetas, chamados de "Júpiteres quentes", sejam muito distantes de suas estrelas e, com o tempo, migrem para perto. Mas este planeta parece ter se formado exatamente onde está hoje.

A explicação mais plausível é que o GJ 3470 b nasceu precariamente perto de sua estrela anã vermelha, que é cerca de metade da massa do Sol.  Começou como uma rocha seca e rapidamente acumulou hidrogênio a partir de um disco primordial de gás quando sua estrela era muito jovem.

LEIA TAMBÉM:


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo