Estudo revela o hormônio feminino que ajuda a combater o sobrepeso

Por Rodrigo Almeida

Manter os níveis de estrogênio é uma forma efetiva de combater a obesidade nas mulheres. Assim revelou uma pesquisa científica, que afirma que este hormônio é responsável por restringir o sobrepeso pela ação no cérebro.

O professor de medicina da Unicamp, Licio Velloso, explicou que o estrogênio “funciona como uma proteção no hipotálamo para este desiquilíbrio, razão pela qual há menos predisposição de obesidade nessas mulheres”.

Segundo o especialista, é por isso que as mulheres tendem a aumentar peso quando alcançam a menopausa ou sofrem alguma alteração que afetam os hormônios.

Funcionamento

O professor explica que no hipotálamo se encontram dois tipos de neurônios que controlam a saciedade e a fome. É por isso que “quando ambos estão em desequilíbrio, se altera o apetite”.

O cientista adverte que as gorduras saturadas e os carboidratos desequilibram o funcionamento do hipotálamo. Depois de estudar mais de 20 anos a área, ele conclui que os alimentos mais danosos são o bacon, a maionese e os açúcares.

Segundo ele “mesmo que o hipotálamo não produza prazer ao comer, ele se conecta com outras zonas do cérebro que realizam esta função, como a amígdala”. Quando a conexão ano funciona, a pessoa passa a comer mais do que o necessário para chegar à saciedade.

Ômega 3

Velloso recomenda o consumo de ômega 3, porque este ácido graxo atua como anti-inflamatório se tomado diariamente. “um exemplo é a dieta mediterrânea, as pessoas que vivem na região, como Espanha, Itália e Grécia consumem alimentos e os níveis de obesidade são muito baixos devido à quantidade de ômega 3”.

Os benefícios da dieta mediterrânea também foram reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde. Em um informe de 2018, a OMS associou-a a uma menor taxa de mortalidade nos países que a praticam habitualmente.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo