Cuidados com o Whey Protein: especialistas alertam sobre o perigo de ingerir proteína em excesso

Por Rodrigo Almeida

As bebidas com proteína existem há um bom tempo, mas aparentemente tornaram-se mais populares os últimos anos.

Segundo a ciência, existem vantagens e desvantagens no uso de proteínas em pó. No entanto o que pensam os médicos?

Cuidado com adoçantes artificiais

É importante estar atento com relação a qualquer adoçante que se encontre na proteína em pó que você consome. É possível que deseje evitar os edulcorantes artificiais como o aspartame, açúcar, ou o xarope de milho. “Os melhores adoçantes são naturais e minimamente processados, como a stevia ou o agave”, diz o nutricionista Ruby Lathon.

Proteínas em pó não são uma necessidade

“Em geral, as pessoas estão ‘sobreproteínadas’. Não carecem de mais nutrientes na dieta”, diz o doutor Stevem Gundry, diretor médico do Centro de Medicina Restaurativa do Instituto Internacional do Coração e Pulmões nos Estados Unidos. Por isso, não é absolutamente necessário usa-la.

Mas se você usa suplementos para ajudar a construir massa muscular, agregue aminoácidos específicos para turbinar o processo, como a linhaça, o cânhamo ou a spirulina.

Excesso de proteína se converte em açúcar

O processo é conhecido como gluconeogênese. Durante o processo, o fígado e os rins transformam os compostos em açúcar, como os aminoácidos das proteínas que logo se utilizam para obter energia.

É um processo que está destinado a ajudar o corpo. Entretanto, tudo em excesso faz mal. Por isso, se você consume muito whey protein, por exemplo, depois do exercício, Gundry recomenda dar alguns dias de descanso durante a semana. Consuma no máximo por cinco dias.

O consumo excessivo de proteínas pode ser muito prejudicial para a saúde

“os riscos de suplementação com proteína em pó não são superficiais”, alerta o douto Anthony Kouri, cirurgião ortopédico do Centro Médico da Universidade de Toledo. “Muitas pessoas auto prescrevem a si mesmas suplementos sem entender os problemas com o consumo excessivo”.

Por exemplo, um estilo de vida que é excessivamente alto em proteínas pode gerar ácido nos fluidos corporais. Os rins secretam o ácido extra enquanto os ossos o absorve. Quando isto acontece pode conduzir a perda de cálcio e resultar em fraturas por insuficiência.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo