Dieta baixa em carboidratos pode diminuir o risco de diabetes, diz estudo

Por Rodrigo Almeida

Há diversas dietas que contribuem na meta para melhorar a saúde, mas uma dieta baixa em carboidratos não somente pode ajudar a emagrecer mas também diminui o risco de desenvolver diabetes.

Isso é o que diz um estudo recente realizado na Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, e publicado no Journal of Clinical Investigation Insight. Os pesquisadores queriam saber o que acontece com as pessoas obesas com síndrome metabólica, um precursor do diabetes, quando consomem uma dieta baixa em carboidratos, mas não conseguem perder peso.

Segundo o Science Daily, os resultados mostraram que mais da metade dos participantes do estudo não sofriam mais da síndrome metabólica depois de levar uma dieta baixa em carboidratos durante quatro semanas.

O efeitos positivos de uma dieta baixa em carboidratos

O novo estudo incluiu 16 homens e mulheres com síndrome metabólica, um conjunto de fatores que pode levar a maiores riscos de doença cardíaca e acidente vascular cerebral (AVC).

“Depois de comer uma dieta baixa em carboidratos, mais da metade dos participantes(cinco homens e quatro mulheres) mostraram reverter esse quadro, a pesar de que recebiam dietas que continham calorias para manter o peso estável”, explicou o artigo.

“Trabalhos prévios no laboratório do Estado de Ohio e em outros lugares demonstraram que as dietas baixas em carboidratos podem ser benéficas para as pessoas com síndrome metabólica e diabetes. No entanto, os pesquisadores de nutrição debatem se isso é um produto da dieta ou um produto da perda de peso”, explica o autor Jeff Volek.

“Não há dúvida de que as pessoas com síndrome metabólico e diabetes tipo 2 desempenham melhor com dietas baixas em carboidratos, mas geralmente perdem peso e um dos pensamentos prevalecentes é que a perda de peso estava impulsionando melhoras. Claramente, este não foi o caso aqui”, disse Volek.

“Uma restrição modesta de carboidratos são suficientes para reverter a síndrome metabólicaem algumas pessoas, mas outras precisam restringir ainda mais”, explica Parker Hyde Pesquisador-chefe do estudo.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo