Adolescentes que ficam muito tempo no celular estão desenvolvendo chifres, diz pesquisa australiana

Por Rodrigo Almeida

Por mais que o título pareça piada, a pesquisa é séria, foi revisada pela comunidade científica e publicada no ano passado na renomada revista Nature.

Dois cientistas australianos passaram a perceber que o hábito de usar aparelhos eletrônicos estava criando uma malformação na região posterior da cabeça, entre a nuca e o crânio.

Segundo os pesquisadores, isso acontece porque as pessoas passam muito tempo nos aparelhos celulares, tablets e produtos similares com a cabeça projetada para frente.

cifre humano Reprodução/ Divulgação

Com isso, os chifres humanos surgem, pois o peso da cabeça é transferido dos músculos do trapézio para os da nuca, causando crescimento ósseo nas conexões ligamentares e dos tendões.

Na revisão científica feita pelos pesquisadores, eles relatam que “esta é a primeira documentação da adaptação do esqueleto humano e fisiológica causada pela tecnologia digital”.

Médicos pelo mundo já se preocupam com o uso da tecnologia, segundo o Whashington Post já são tratadas posturas viciada do pescoço pelo uso excessivo de celulares, e também o que eles chamam de texting thumb, uma condição não catalogada que é parecida com a síndrome do túnel do capo, uma compressão do nervo responsável por emitir sinais para o dedão, indicador e dedo médio.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo