WhatsApp quer processar usuários que encaminham mensagens em massa

Por Wellington Botelho

O WhatsApp quer processar usuários que encaminham mensagens em massa no app. A plataforma afirmou recentemente que vai tomar legais contra 'espertinhos' no aplicativo a partir deste ano.

O app está ciente de que algumas empresas tentam escapar de seus sistemas de aprendizado de máquina, usando informações da plataforma para impulsionar seus negócios com spam e notícias falsas, ou em casos mais sérios, fraudes e golpes.

É por isso que, em uma publicação no site oficial, a plataforma explica que começará a tomar medidas legais contra usuários que abusam do envio de mensagens em massa a partir de 7 de dezembro. Em um longo texto, a plataforma detalhou alguns pontos. Confira:

"O WhatsApp é um programa de mensagens privadas originalmente criado para ajudar as pessoas a entrarem em contato com seus amigos e ente queridos. Ao longo do tempo, observamos o quanto as pessoas amam enviar mensagens a empresas, então criamos duas ferramentas: o aplicativo WhatsApp Business e a WhatsApp Business API, para ajudar empresas a administrarem suas relações com consumidores.

"Nossos produtos não foram projetados para enviar mensagens automáticas ou em massa – atitudes que violam os Termos de serviço".

"Estamos comprometidos a reforçar a natureza privada de nossa plataforma e proteger nossos usuários de práticas maliciosas de terceiros. Recentemente, detalhamos os recursos de nossa plataforma sobre como identificar e banir contas"

"Como impedir abusos: de que forma o app combate o envio de mensagens em massa e automatizadas? Ficamos sabendo que algumas empresas tentam evitar nossos sistemas de aprendizado de máquina, mesmo que trabalhemos incessantemente para melhorá-los. Ao utilizar as informações internas da plataforma, identificamos e paramos milhares de contas abusivas operando em nossos serviços". 

"Este é um desafio que requer uma abordagem holística. O app está comprometido a utilizar todos os recursos à disposição dele, incluindo processar, se necessário for, para evitar abusos contra nossos Termos de serviço, como o envio de mensagens em massa ou utilização comercial".

WhatsApp Pixabay

"É por isso que, além das iniciativas tecnológicas, utilizamos uma abordagem jurídica contra indivíduos ou empresas que ligamos a evidências dentro da plataforma de abusos contra ela. O WhatsApp se reserva ao direito de continuar a tomar as medidas jurídicas cabíveis nesses casos".

"Além disso, a partir de 7 de dezembro de 2019, o WhatsApp tomará medidas legais contra quem auxiliar a terceiros a violarem nossos Termos de serviços com práticas abusivas, como envio de mensagens em massa ou automatizadas, ou com a utilização comercial, mesmo que essas informações sejam disponibilizadas para nós fora da plataforma".

"As informações fora da plataforma, por exemplo, incluem declarações de empresas sobre a habilidade em utilizar o app de forma que viola nossos Termos de Serviço".

WhatsApp Getty Images

"Este texto serve como aviso de que tomaremos medidas jurídicas contra as empresas que abusarem da nossa plataforma se tivermos evidências fora dela desses abusos se eles continuarem após 7 de dezembro de 2019, ou antes dessa data se essas empresas estiverem ligadas a evidências dentro da plataforma que evidenciem tais práticas".

"Nada neste anúncio limita o direito do WhatsApp de cumprir com nossos Termos utilizando medidas tecnológicas, como banindo contas baseados em classificadores baseados em aprendizado de máquina. O WhatsApp seguirá com essas medidas mesmo após os termos acima entrarem em vigor". 

LEIA TAMBÉM:


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo