Confira sete dicas de pratos para serem harmonizados com vinho em dias de frio

Por Metro Curitiba

Com a queda das temperaturas, parece cada vez mais convidativa a ideia de desfrutar de um almoço ou jantar acompanhado de um bom vinho. Seja combinada com carnes, massas, sobremesas e até sopas – tão consumidas no outono e inverno curitibanos –, há sempre uma opção ideal de vinho para ser harmonizado com o cardápio.

Por isso, Débora Breginski – eleita a melhor sommelière de Curitiba pelo Brindo Wine – selecionou diferentes vinhos para serem harmonizados com alguns dos pratos mais pedidos durante as estações mais frias. Confira abaixo as dicas de harmonização de vinhos e refeições para experimentar no frio.

  • Queijos:
    Para harmonizar queijos e vinhos, é preciso se atentar, especialmente, à consistência da massa do quejo e à textura do vinho. Segundo a sommelière Débora Breginski, queijos com massas mais moles tendem a ser melhor harmonizados com vinhos mais macios, como os Carménère e Chardonnay. Já queijos com consistência mais firme, como o Parmesão, casam bem com Syrah ou Malbec – vinhos com mais corpo e intensidade. Queijos de consistência média, como o Gruyère, harmonizam bem com vinhos de mais aroma, como o Pinot Noir. Os vinhos brancos, por sua vez, vão bem com Brie e Camembert.
  • Rodízio de carnes:
    É possível tomar um mesmo tipo de vinho durante todo o rodízio, acompanhando diferentes tipos de carnes. Os mais adequados são os vinhos de médio para grande corpo, como Merlot, Tempranillo, Cabernet e Carménère. Eles ajudam a nivelar as diferentes opções de carnes e pratos consumidos durante almoço ou jantar.
  • Risoto:
    Risotos de frutos do mar casam muito bem com vinhos rosés. Eles ajudam a tornar sabores fortes (como os de peixes ricos em gorduras) mais leves e frescos. Vinhos brancos são uma segunda sugestão para esse tipo de prato. Já para risotos com molho funghi, a escolha ideal são vinhos como o Pinot Noir ou o Cabernet Sauvignon.
  • Massas:
    Nhoques com molho alfredo, quatro queijo ou carbonara podem ser harmonizados com vinhos com bastante textura (como Malbec) ou feitos a partir de uvas Carménère, que têm mais peso e trazem uma explosão aromática. Outras massas, como spaguette pomodoro, combinam mais com vinho rosé, enquanto o molho funghi vai bem com Pinot Noir, que traz uma sensação de leveza para o paladar.
  • Parrilla:
    Para parrillas com carne de cordeiro, o vinho mais indicado é o Tempranillo Espanhol. Por ter um sabor apimentado, ele cria uma ótima combinação com o sabor mais forte do cordeiro. No caso de parrillas que levam carnes como picanha, linguiça e assado de tiras, é interessante optar por vinhos mais encorpados. Os vinhos europeus, como a uva Sangiovese Italiana, por exemplo, ajudam na distinção entre os diferentes sabores.
  • Sopas:
    Há um tipo de vinho ideal para cada sabor de sopa. A eslava, por exemplo, que leva batata e linguiça, pode ser acompanhada de vinhos de médio corpo, que sejam mais voláteis, mas que tenham certa picância. Já o caldo verde pode ser harmonizado com vinhos feitos a partir de uvas Merlot. A canja de frango, por sua vez, combina com Pinot Noir.
  • Sobremesas:
    Pratos que levam caldas de chocolate ou doce de leite fazem uma combinação perfeita com vinho tinto uruguaio de uvas Tannat, que trazem equilíbrio para o sabor adocicado. O toque de acidez da bebida no final permite que o doce não se torne enjoativo e possa ser repetido tranquilamente.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo