Estas são as 4 novas doenças sexualmente transmissíveis que mais preocupam os médicos

Por Rodrigo Almeida

Das quatro infecções listadas, apenas o linfogranuloma venéreo, causado pela bactéria precursora da clamídia que infecta 131 milhões de pessoas por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

As demais estão entrando na ótica da comunidade médica como epidemias silenciosas e acendem o alerta das principais autoridades no assunto.

O mais preocupante que estas infecções não são curáveis. A OMS estima que algumas estão ficando resistente aos antibióticos existentes.

Conheça as quatro DSTs que mais cresceram nos últimos anos

bacteria Reprodução/ Pixabay

Meningococo

Pode afetar o cérebro, e é mais comum em homens bissexuais e homossexuais da Europa, Canadá e Estados Unidos. Transmite-se via sexo oral e beijos profundos.

Mycoplasma Genitalium

É uma nova bactéria e é preocupante por causa do tamanho. Os sintomas compreendem inflamações pélvicas, no sistema reprodutor feminino que provocam abortos espontâneos, infertilidade e partos prematuros.

Disenteria de Shigella ou Shigelose

Esta DST é transmitida por meio do contato direto ou indireto com as fezes humanas. Alguns casos aumentam os sintomas como câimbras estomacais muito fortes ou surtos de diarreia hemorrágica e com mucosidade.

Linfogranuloma venéreo

É uma infecção retal que provoca um grão ou uma ulcera genital temporal que logo invade o sistema linfático do corpo. Os grupos de risco são homens homossexuais e bissexuais da Europa e América do Norte, eles apresentam fístulas e contrações do cólon e do reto.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo