ONU vê 1 milhão de espécies sob ameaça de extinção no mundo

Estudo aponta expansão da área para agricultura, mudança climática e poluição entre as causas que ameaçam espécies de plantas e animais

Por Metro Jornal

Cerca de 1 milhão de espécies de plantas e animais estão ameaçados de extinção no mundo, algumas já nas próximas décadas, de acordo com estudo coordenado por braço da ONU (Organização das Nações Unidas) com dados compilados por 145 especialistas de 50 países nos últimos três anos e divulgado ontem. A quantidade é a maior da história.

Segundo a Avaliação Global, feita pela IPBES (Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos, na sigla em inglês), mais de 40% dos anfíbios, quase 33% das coberturas de corais e mais de um terço dos mamíferos marinhos estão ameaçados.

O estudo adverte que a taxa de perdas de espécies está se acelerando. “A saúde dos ecossistemas dos quais nós e todas as outras espécies dependem está se deteriorando mais rapidamente do que nunca”, afirmou o presidente do IPBES, sir Robert Watson. Mas o executivo destaca: “O relatório também nos diz que não é tarde demais para fazer a diferença, mas apenas se começarmos agora em todos os níveis, do local ao global.”

Os autores da avaliação classificaram, pela primeira vez nessa escala, os cinco causadores diretos da mudança na natureza com os maiores impactos globais relativos até agora.

Os culpados são, em ordem decrescente: mudanças no uso da terra e do mar (aqui incluída a expansão da área usada para agricultura sobre locais onde antes havia florestas); exploração direta de organismos (por exemplo, pesca); mudanças climáticas; poluição e espécies exóticas invasoras.

O relatório traz alguns números que indicam o caminho que trouxe até a situação atual: o valor da produção agrícola aumentou cerca de 300% desde 1970, a colheita de madeira bruta subiu 45% e quase 75% dos recursos de água doce do mundo estão dedicados a produção agrícola ou pecuária. Em 2015, 33% dos estoques de peixes marinhos eram explorados em níveis insustentáveis. A poluição plástica aumentou dez vezes desde 1980.

O estudo ainda indica que, desde 1980, as emissões de gases do efeito estufa dobraram, elevando a temperatura média global em pelo menos 0,7ºC e que os impactos devem aumentar nas próximas décadas, em alguns casos, superando o impacto da mudança do uso da terra e do mar e outros fatores.

Os causadores

  • Mudanças no uso da terra e do mar
  • Exploração direta de organismos
  • Mudanças climáticas
  • Poluição
  • Espécies exóticas invasoras

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo