Mulheres que consomem o sêmen do parceiro têm menos chances de sofrer aborto espontâneo, diz pesquisa

Por Rodrigo Almeida

Esta é uma pesquisa extremamente polêmica, e muitas mulheres não vão levar a sério as descobertas. Todavia, se considerarmos que somos livres para explorar a sexualidade como quisermos, haverá aquelas que não se importarão.

Enfim, um estudo publicado na edição de junho de 2019 da revista científica Journal of Reproductive Immunology, revela os benefícios que o sêmen pode causar para as mulheres.

De acordo com a recente pesquisa, mulheres que fazem sexo oral nos parceiros e engolem o esperma têm menos probabilidade de sofrer aborto espontâneo.

Segundo os pesquisadores, o fluido seminal possui hormônios e proteínas provenientes do corpo masculino, as quais são úteis para que o feto cresça de forma saudável.

gravidez Reprodução/ Pixabay

O portal estrangeiro Daily Mail assinala que as mulheres que mais sofreram abortos praticam menos sexo oral no parceiro que as demais.

Os cientistas holandeses compararam o histórico de gravidez e hábitos sexuais de mais de 235 mulheres. A conclusão foi de que existe uma relação entre o consumo oral de sêmen e o aborto inesperado.

Das 235 mulheres, 97 sofreram aborto espontâneo em algum momento. “Exposição oral a fluidos seminais parecem influenciar de forma positiva o desfecho da gestação”.

A teoria é de que quanto mais exposta ao DNA do pai, maior a chance do corpo materno não rejeitar o feto. Levando em consideração que metade da carga genética da criança é estranha ao corpo, o esperma agiria de forma a fortalecer o sistema imunológico da mãe.

Leia Também: Sêmen faz as mulheres mais felizes e as afasta da depressão, diz estudo científico


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo