Cúrcuma não ajuda a emagrecer: pesquisa da USP quebra o mito da queridinha das dietas detox

Por Rodrigo Almeida

Um estudo da Universidade de São Paulo pode estar quebrando com o mito da raíz que se tornou a queridinha das dietas detox nos últimos anos.

Realizada nos laboratórios de Nutrição Clínica da escola de Medicina de Ribeirão Preto, a pesquisa administrou suplementação de cúrcuma em dois grupos de ratos de laboratório.

O primeiro com dieta balanceada apresentou benefícios de perda peso. Já o segundo que foi administrada uma dieta gordurosa não conseguiu se livrar do peso excessivo.

A pesquisa foi conduzida pela nutricionista Caroline Bertoncini Silva. Em entrevista para o Jornal da USP ela disse que “os efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios da cúrcuma já foram comprovados por diversos estudos e, assim, surgiu o interesse: comprovar os reais efeitos emagrecedores”.

curcuma Reprodução/ Pixabay

A cúcurma não emagrece,  mas pode acelerar o metabolismo

Segundo a pesquisadora, a cúrcuma estimula a criação de tecido marrom, uma capa de tecido adiposo responsável por manter a temperatura do corpo e pode indicar que a raiz ajuda a acelerar o metabolismo.

Apesar de um dos grupos ter demonstrado benefícios, a raiz cobra um preço caro na hora de ser metabolizada. Os resultados mostraram que os dois grupos tiveram o pâncreas sobrecarregado pela cúrcuma.

Uma infiltração de gordura foi observada no pâncreas dos dois grupos do estudo. “Isso pode ser indicativo de toxicidade ocasionado pela cúrcuma” explica Caroline. De acordo com a pesquisadora outro estudo está sendo conduzido para pesquisar a fundo a essa possível toxicidade.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo