Musculação controla diabetes em pessoas obesas

Por Fabíola Salani, Metro Jornal

Um estudo conduzido por pesquisadores da Unicamp mostrou que a prática de exercícios de força, como a musculação, é capaz de reduzir a gordura no fígado de pessoas obesas e, assim, auxilia a controlar a glicemia nesses pacientes, mesmo que não ocorra perda de peso significativa.

O experimento foi feito com camundongos e os exercícios foram limitados a 15 dias para mensurar o efeito da prática física.

O resultado traz um incentivo extra a quem faz exercícios por causa da saúde: mesmo que você não perca peso, os 15 primeiros dias já trazem benefícios.

O coordenador da pesquisa, Leandro Pereira de Moura, 33 anos, professor da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp, explica que o fígado é responsável por produzir glicose quando o corpo está em jejum. Quando a pessoa consome carboidratos, o pâncreas produz a insulina, que “informa” o fígado que já há glicose suficiente para o corpo se manter. Porém, quando há gordura no fígado, diz, essa “comunicação” fica prejudicada e o órgão segue produzindo glicose.

“A maioria dos estudos faz a avaliação depois de um mês ou dois de exercícios. Mas, quando você se submete a um tempo longo de exercícios, tende a reduzir o peso corporal”, explicou o pesquisador. “Ficava a dúvida sobre o que trouxe o benefício: o exercício ou a consequência indireta dele, que foi perder peso”, disse.

O estudo

Na pesquisa, apoiada pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), foram usados três grupos de camundongos: um recebeu ração padrão (com 4% de gordura);  os outros dois, com 35% de gordura. Um  dos grupos ficou sedentário e o outro fez exercícios de força.

O grupo alimentado com a ração mais gordurosa e que fez exercícios ainda estava obeso após os 15 dias de atividade física, mas já tinha níveis de glicemia normais e a gordura do fígado tinha caído entre 25% e 30%.

Moura diz que a conclusão do estudo pode incentivar a prática de musculação, mas lembra: é necessário ter uma orientação profissional para estabelecer quais exercícios e em que frequência devem ser adotados.    

“Nosso grupo mostrou que, quando se faz atividade descontrolada, em  excesso, ela perde os efeitos benéficos”, finalizou.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo