Investir no colchão certo para o seu biotipo é uma questão de saúde; veja dicas

Por Metro Jornal

A escolha do colchão ideal faz parte de um conjunto de medidas para uma coluna saudável. Nessa lista de cuidados, está manter a postura ereta nas atividades cotidianas, não fumar, pois a nicotina interfere negativamente na ação circulatória da região, praticar musculação específica para o fortalecimento dos músculos das costas e controlar o sobrepeso.

Quem adverte é o médico Ricardo Teixeira, ortopedista em coluna pela Universidade de São Paulo, atuando como colaborador do grupo de tratamento de coluna do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas. “A gente passa 30% da nossa vida dormindo, então é algo que temos que levar à sério. Tanto em relação à posição de dormir como à escolha do colchão.”, diz ele.

“Devemos evitar a posição de bruços, acaba forçando muito a coluna e gerando dores”, ensina o especialista. Já na hora de escolher o colchão, devemos optar por aquele que mantenha a coluna alinhada, na posição com a barriga para cima.

O ideal é que o produto seja dez centímetros mais extenso do que a nossa altura e apresente a densidade correta para o nosso peso: entre 23 e 28 para quem pesa até 80 quilos e de 28 a 33 para quem pesa mais.

E aquela antiga dica ainda está valendo para os colchões de espuma, confirma o médico Ricardo Teixeira: “Girar o colchão periodicamente é importante, pois aumenta a sua vida útil e preserva os benefícios.

Modelos de colchão

  • 1. Mola
    Molas internas cobertas por estofo que amortecem o peso do corpo. São ideais para quem dorme de lado. Para casais, indica-se as molas ensacadas.
  • 2. Espuma
    Pode ser viscoelástica, hiper amx ou de gel. Traz o melhor custo-benefício.
  • 3. Látex
    Tem efeito semelhante ao da espuma viscoelástica, moldando-se ao corpo.
  • 4. Ar, água e sacos de dormir
    Esses modelos são indicados para uso esporádico, como para receber hóspedes ou em viagens e acampamentos.

Encontre o seu tipo perfeito de colchão

Confira dicas do ortopedista especialista em coluna Ricardo Teixeira:

  • 1. “Os colchões têm um prazo de validade, assinalado pelo próprio fabricante, que varia de oito a 15 anos. A Organização Mundial de Saúde orienta, porém, que troquemos de colchão após um período de cinco a oito anos.”
  • 2. “Não existe uma resposta genérica para determinar o melhor tipo de colchão, pois isso varia de pessoa para pessoa. Em geral, quem é mais pesado se beneficia de um colchão mais rígido, enquanto os mais magros devem optar pelos mais macios. Mas há quem tenha problemas de coluna específicos, e recorrem aos ortopédicos.”
  • 3. “É importante fazer o ‘test drive’. Sentar, deitar, e ficar por até cinco minutos para ver como é a sensação. É bom ir à loja em dupla, para que o acompanhante observe se a coluna está alinhada no colchão. O dorso deve permanecer ereto. Se o abdómen ou quadril afundarem e as costas apresentarem tortuosidades, esqueça.”

Tabela prática de densidade

O colchão deve ser adequado ao biotipo de cada pessoa. O ideal é que seja firme e, ao mesmo tempo, flexível. Nesse caso, conforto e sustentação precisam atuar em equilíbrio. O bom colchão é aquele que suporta o peso do corpo adaptando-se a ele, sem ceder. Só assim ele proporcionará o alinhamento ortopedicamente correto, atenuando os esforços musculares durante as horas de sono.

A tabela a seguir segue a Norma NBR 13579-1 da ABNT para colchão e colchonete:

Tabela colchão
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo