Carnaval 2019: aprenda a fazer o Bioglitter

Sustentável. É possível curtir e brilhar de forma consciente, sem agredir a natureza, com os glitters biodegradáveis feitos em casa

Por Metro Jornal
selo carnaval 2019

A parte mais divertida do Carnaval são as fantasias e, claro, o glitter que se espalha por todo o corpo e custa a sair. E o problema dos brilhinhos não está só na dificuldade de tirar da pele, mas também no impacto que eles causam na natureza. Com a onda da sustentabilidade, a moda virou curtir pensando na natureza, o que já é possível com os “bioglitters”.

Segundo a professora de química Márcia Guezekian, é possível produzir glitter com ingredientes biodegradáveis em casa, evitando o uso do produto tradicional.

O primeiro passo é escolher a base, que ajudará a dar aderência à pele. Pode ser, por exemplo, gelatina vegetal ou pó de gelatina. Para a cor existem várias opções, desde corante alimentício até pó de beterraba. E para dar o brilho final, Guezekian recomenda o pó de mica, que deriva de rochas.

O glitter tradicional é feito de micropartículas de plástico e metais, como alumínio. Quando tiramos o brilho no banho, ele acaba descendo pelo ralo e, por ter entre 1mm e 5mm, passa direto pelo filtro dos encanamentos e para em rios e oceanos, onde passa a participar da cadeia alimentar da fauna marinha. Por esse material não ser biodegradável, demora muitos anos para se decompor.

Como tirar seu glitter

Existem alguns meios de tirar o glitter tradicional sem que ele vá para os oceanos. O ideal é passar um algodão com creme, demaquilante ou óleo de coco antes de tomar banho, para tirar o excesso, e tampar o ralo com filtro de papel (como, por exemplo, o de café), evitando assim que ele vá junto com a água.  

biogliter como fazer Arte / Metro Jornal

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo