Terraplanismo: saiba como o Youtube conseguiu ressuscitar este conceito enterrado pela ciência

Por Rodrigo Almeida

De uns anos para cá, o Youtube passou a ser o lar de uma videoteca inimaginável de vídeos conspiratórios de toda e qualquer forma. O precursor desse gênero (se é que podemos chamar de gênero) foram os vídeos a respeito da queda das torres gêmeas.

O ataque aos edifícios nova-iorquinos em setembro de 2001, desencadeou uma caçada no Oriente médio a Osama Bin-Laden, primeiramente no Afeganistão. O vídeo que desmente a história oficial foi um dos mais vistos nos estágio iniciais da plataforma.

Pesquisadores procuram entender os adeptos do terraplanismo

E, atualmente, esse é o portal de entrada para um conceito derrubado pela ciência há mais 500 anos, por Nicolau Copérnico. O conceito de que a terra é plana. Isso quem assegura é uma pesquisa científica conduzida pela Texas Tech University, nos Estados Unidos.

Os investigadores entrevistaram mais de 30 pessoas que participaram de um dos mais bem-sucedidos encontros terraplanistas da atualidade, que aconteceu em Denver, Colorado, em 2017. Segundo a pesquisa, apenas uma pessoa acreditava na teoria dois anos antes.

Youtube é a ferramenta dos crentes na teoria

Os investigadores americanos identificaram os vídeos conspiratórios como o principal motivo para o crescimento dos adeptos da teoria.

A partir do momento que alguém assiste um vídeo sobre o assunto, automaticamente, o algoritmo do Youtube alinha como interesses o terraplanismo.

E assim se faz uma crente. Muitos dos adeptos afirmaram que assistiram aos vídeos para derrubar os argumentos, mas que, no final, acabaram convencidos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo